XVI EPP e II CIPTF começam amanhã (22) e contarão com conferências de Leandro Karnal, Clóvis de Barros Filho e Viviane Mosé

O XVI Encontro Paranaense de Psicologia e o II Congresso Internacional de Psicologia da Tríplice Fronteira (XVI EPP e II CIPTF) começam nesta quarta-feira (22) e contarão com mais de 100 atividades na programação. Entre elas estão as conferências, que são abertas ao público, com os profissionais Leandro Karnal (23 de agosto), Clóvis de Barros Filho (24 de agosto) e Viviane Mosé (25 de agosto).

Karnal, que é professor no Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), trará algumas reflexões sobre a ética, especialmente em um momento político marcado por profunda crise de valores, manipulação de massas e construção de verdades. O conferencista, que também possui formação em Antropologia e Filosofia, instigará os participantes a pensar na Psicologia como meio para o incentivo à autonomia das comunidades e à participação da sociedade nos processos políticos.

A conferência da noite de 24 de agosto, com Clóvis de Barros Filho, será um convite à reflexão sobre as conexões sustentáveis. Em tempos de relacionamentos líquidos e midiatizados, as pessoas estão conectadas o tempo todo e, ao mesmo tempo, muito distantes. “Eu acredito que seria preciso, inicialmente, que as pessoas entendessem que as tecnologias estão a serviço da felicidade do homem e não o contrário. Isso significa que, por de trás de cada celular, continua havendo uma pessoa inteligente, capaz de fazer reflexões, dotada de lucidez, com princípios e valores a respeitar”, analisou o conferencista em entrevista ao Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR). “Isso significa que as novas técnicas, apesar de conferirem maior impessoalidade ou até anonimato, não eliminam o que chamamos de moral. Além da consciência moral, há também o entendimento social sobre limites de conduta a respeitar, que denominamos de limites éticos. É claro que tudo isso pressupõe uma competência de atribuição de valor e ética que vão muito além do que simplesmente aceitá-la”, conclui ele.

O debate sobre as relações humanas continuará na última noite do evento com a conferência de Viviane Mosé. A profissional, que entre 2005 e 2006 apresentou o quadro “Ser ou não ser”, do Fantástico (Rede Globo), trazendo temas de filosofia para uma linguagem cotidiana, vai abordar os altos índices de suicídio entre crianças e adolescentes, em uma perspectiva filosófica. “Tudo o que temos hoje já existia 30 anos atrás. O que a gente vê é que a internet é apenas a explicitação disso, levou à ultima potência. Quem nos afastou do corpo e da presença foi o modelo lógico-racional, que diz que os afetos, o corpo, as paixões, as sensações atrapalham”, analisa Mosé. “Não tem nada errado com as crianças, eles são vítimas. São manifestação de uma história que dura muitos anos. É um abismo da civilização. Precisamos criar um novo modelo de humano. Mais próximo ao corpo, ao afeto, com aquele cafezinho na esquina. Isso precisa retornar.”

Mosé faz um convite a todas e todos que queiram participar deste debate e deixa um recado: “Vivemos tempos difíceis, mas nada se parece mais com um prédio em ruínas do que um prédio em construção. Nós temos que aprender a entender essas transformações para potencializar seres humanos mais sustentáveis. Temos um novo universo de possibilidades que temos que aprender a explorar.”

Serviço

XVI Encontro Paranaense de Psicologia (EPP) e o II Congresso Internacional de Psicologia da Tríplice Fronteira (CIPTF)

Quando: 22 a 25 de agosto

Local: Rafain Palace Hotel & Convention Center (Av. Olímpio Rafagnin, 2357, Parque Imperatriz, Foz do Iguaçu)

Veja a programação completa em www.epp.crppr.org.br. Inscrições no local

Rolar para cima