Notícia

Psicólogas(os) autônomas(os) da área da saúde residentes em Guarapuava: preencham o formulário referente ao Plano de Vacinação

Em atenção ao Plano Municipal de Vacinação da COVID-19 – Guarapuava Imunizada, o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) disponibiliza um formulário para Psicólogas(os) autônomas(os) que atuam em serviços de saúde da rede privada residentes neste município. Confira atentamente as informações sobre o formulário:

 
Quem deve preencher este formulário? E até quando?

Apenas Psicólogas(os) autônomas(os) com registro ativo (com inscrição provisória ou definitiva – inclusive Inscrição Secundária) no CRP-PR, que trabalham como profissionais na área da saúde e que residem no município de Guarapuava-PR, conforme definições da Secretaria Municipal de Saúde.

Considera-se profissional autônoma(o) aquelas(es) que atuam sem vínculo empregatício, que trabalham de forma independente. Contudo, mesmo que a(o) Psicóloga(o) possua vínculo(s) empregatício(s), mas atue também como autônoma(o) na área da saúde, pedimos que preencha o formulário.

Consideram-se área da saúde, abrangida por esse formulário, as clínicas onde se desempenham uma ou mais atividades/prestações de serviços em saúde.

O preenchimento deve ser feito impreterivelmente até a data de 02 de fevereiro de 2021. Ao final do prazo, os dados serão conferidos, sistematizados e enviados para a Secretaria Municipal de Saúde de uma só vez. Sendo assim, não há qualquer diferenciação por ordem de preenchimento – pedimos, no entanto, para que não deixe para responder nos últimos minutos, de modo a evitar dificuldades referentes a muitos acessos simultâneos. Profissionais que porventura perderem o prazo deverão aguardar novas instruções.

Atenção: basta preenchê-lo uma vez por profissional. Na última página, você verá a confirmação de que os dados foram enviados. Não é possível preencher para terceiras(os), ou preencher dados de mais de uma pessoa na mesma resposta.

Por que apenas estas(es) profissionais?

A definição dos grupos, fases e procedimentos de vacinação compete às autoridades em saúde, no caso a Secretaria de Saúde de Guarapuava.

No Plano de Vacinação do Município, existem outras(os) Psicólogas(os) contempladas(os) nas fases previstas de vacinação, como aquelas(es) que atuam em Hospitais e Serviços de Urgência e Emergência de referência COVID-19 públicos e privados, CAPS, entre outros, mas sua identificação se dará diretamente junto aos locais de trabalho, sem a necessidade de envio de dados por parte do Conselho Regional de Psicologia do Paraná.

Como faço para preencher o formulário?

As(Os) 382 Psicólogas(os) com registro ativo no CRP-PR residentes em Guarapuava receberão e-mail do Conselho nas próximas horas com o link para preenchimento. Também será enviada mensagem de celular (SMS). Caso não identifique em sua caixa de entrada, procure na caixa de spam e verifique se os seus dados cadastrais estão atualizados: crppr.org.br/saiba-como-atualizar-cadastro-crppr

Caso não tenha recebido, acesse o link para o formulário em: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeO7IcjF9vLqVwiyheWwHri5W3scBnn3CtOVBWLXvK-6UJmRA/viewform

O preenchimento dos dados neste formulário garante a vacina?

Não. O formulário é um instrumento elaborado pelo CRP-PR para atender à solicitação de dados da Secretaria de Saúde de Guarapuava. Os critérios, procedimentos, disponibilidade, agendamento chamamento para vacinação são de competência da Prefeitura Municipal.

A que fase de vacinação esse público se refere?

Ao décimo grupo da primeira fase da vacina, composto por profissionais de saúde dos “Demais serviços privados hospitalares e ambulatoriais (farmácias e clínicas)”.

Antes destas(es) trabalhadoras(es), serão vacinadas(os), também na primeira fase, profissionais de Instituições de Longa Permanência de Idosas(os), Hospitais, Centros de Atendimento da Covid-19, Atenção primária em saúde e CAPS, demais serviços de urgência e emergência, Vigilância em Saúde, laboratórios, serviços hospitalares ambulatoriais públicos. As(Os) profissionais destes serviços terão seus dados informados à Prefeitura pelas empregadoras, não devendo preencher o formulário do CRP-PR.

Quando será a vacinação? E como saberei até onde me dirigir?

A Prefeitura Municipal de Guarapuava informa que recebeu uma primeira remessa de 1616 vacinas, e uma segunda de 1240 doses. Sendo assim, informa que: “a vacinação dos grupos pertencentes a primeira fase irá avançar gradativamente conforme o recebimento das vacinas, que depende exclusivamente da logística de fornecimento e distribuição estabelecidas pelo Estado e, principalmente, pelo Governo Federal”. Também menciona, no Plano de Vacinação, que: “a vacinação seguirá uma ordem prioritária de atendimento por fases e grupos e cada um deles será chamado para a imunização pelos canais oficiais de comunicação da Prefeitura e pelos órgãos de imprensa”.

Sendo assim, orienta: “antes de tomar a vacina, a pessoa deverá realizar um cadastro on-line em plataforma disponibilizada pela Prefeitura”. E, ainda: “Guarapuava terá um único local de vacinação – o Centro de Vacinação da Covid-19. O local está na fase final de instalação e será usado para imunizar os profissionais de saúde e outros grupos contemplados na fase 2 da campanha. O Centro contará com 18 salas de vacinação montadas na Praça Cândido Xavier da Silva, em frente a Prefeitura Municipal. O atendimento dos profissionais será das 8 às 18h, de segunda à sexta-feira, para o público-alvo convocado conforme a ordem de vacinação”.

Outras(os) Psicólogas(os) que não atuam na área da saúde estão previstas nas fases seguintes do Plano Municipal de Vacinação de Guarapuava?

São as previsões das fases seguintes do plano: pessoas com mais de 60 anos na segunda fase; pessoas com comorbidades na terceira fase (diabetes mellitus, hipertensão, doença pulmonar obstrutiva crônica, doenças renais, cardiovasculares e cerebrovasculares, pessoas com transplantes de órgãos sólidos, anemia falciforme, câncer e obesidade grave); profissionais da Educação, Forças de Segurança e Salvamento e Sistema Prisional (incluindo Psicólogas(os) que atuem nessas áreas), na quarta fase. Nenhuma destas fases tem previsão de data para o início das vacinas.

Por que apenas profissionais residentes em Guarapuava deverão preencher este formulário do CRP-PR?

O Plano Municipal de Vacinação de Guarapuava, elaborado pela Prefeitura Municipal, explicita a presença de profissionais de saúde de “Demais serviços privados hospitalares e ambulatoriais (farmácias e clínicas)” entre suas fases prioritárias, contando com o apoio do CRP-PR para informação dos dados de Psicólogas(os) que atuam como autônomas(os) – aquelas(es) com vínculo empregatício deverão ter seus dados enviados pela empregadora.

A maioria dos Planos Municipais com os quais o CRP-PR tomou contato até o momento não contam com tal especificidade, nem inserem a participação dos Conselhos profissionais em seus processos de informação.

E as(os) Psicólogas(os) de outros municípios?

Profissionais que não residem em Guarapuava deverão observar os Planos de Vacinação referentes ao seu município. Já houve consulta a profissionais do município de Curitiba e Cascavel e estão previstos formulários para profissionais autônomas(os) da saúde que atuam em Araucária.

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná já enviou ofícios e segue buscando contato com a Secretaria de Estado da Saúde para levantar mais informações e repassar às(aos) Psicólogas(os) do Paraná.

Por que o Conselho não garante vacina para toda a categoria?

Nenhum Conselho ou órgão profissional tem como prerrogativa a definição de critérios de prioridade para vacinação – essa atribuição compete ao Poder Público, às autoridades de Saúde, nas esferas Federal, Estadual e Municipal.

O Sistema Conselhos de Psicologia compreende que a vacina é extremamente necessária para preservação da vida de toda população, ainda mais porque não temos garantidas pelo Estado as condições para o distanciamento social – que poderia (e ainda pode) salvar muitas pessoas da contaminação e complicações decorrentes da Covid-19.

Sendo assim, e considerando que muitas pessoas não poderão ser vacinadas (menores de 18 anos e pessoas com condições de saúde que não permitam a vacinação), as condições de biossegurança só poderão ser alcançadas se houver doses suficientes para todas(os).

Nesse sentido, é fundamental reivindicarmos o investimento público para que a vacina esteja de fato disponível, o mais breve possível, para toda a população. Assim, fica evidente a necessidade do investimento permanente em pesquisa, ciência, tecnologia e inovação – que se dão majoritariamente em instituições públicas. Contudo, neste momento emergencial, também é flagrante a necessidade de esforços efetivos para importação de vacinas e insumos.

Enquanto não há vacina para todas(os), é nosso compromisso ético, pensando na saúde coletiva, reivindicar a prioridade para grupos com maiores riscos de contaminação e disseminação do vírus e de complicações decorrentes da doença – seja por condições de saúde, deficiências, faixa etária, situação laboral, e mesmo as desigualdades de acesso à moradia, trabalho protegido e serviços de saúde.