Dia Internacional de Combate à Homofobia: Psicologia deve promover respeito a todas as pessoas

No Dia Internacional de Combate à Homofobia (17 de maio), o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) reafirma a importância de Psicólogas e Psicólogos paranaenses atuarem de forma a promover, no exercício profissional, o respeito a todas as pessoas. A promoção da liberdade, dignidade, igualdade e da integridade do ser humano, independente de quem seja, deve ser um objetivo constante para toda a categoria profissional. O Código de Ética Profissional do Psicólogo (CEPP) aponta este compromisso ético desde seus princípios fundamentais, e outras Resoluções, como a CFP nº 01/1999 e CFP nº 01/2018, versam sobre as questões relacionadas às diversidades sexuais e de gênero.

O Brasil é o país que mais mata pessoas LGBTI no mundo, de acordo com estudo realizado pela ONG Transgender Europe em 2016. Mais de 400 LGBTIs foram assassinados em razão de suas orientações sexuais ou identidade de gênero apenas no último ano, segundo o Grupo Gay da Bahia. As situações de violência vulnerabilizam especialmente travestis e transexuais, afetadas por discursos preconceituosos e discriminatórios.

Também lembramos que, assim como a homossexualidade deixou de ser considerada como transtorno mental na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde em 1990, a transexualidade também precisa deixar de ser considerada como psicopatologia. Psicólogas(os) brasileiras(os) devem atuar segundo os princípios éticos da profissão, contribuindo com o seu conhecimento para uma reflexão voltada à eliminação da transfobia e do preconceito em relação às pessoas transexuais e travestis.

Neste 17 de maio, o CRP-PR convida toda a categoria a debater a prática psicológica nas questões de gêneros e sexualidades, à luz dos Direitos Humanos, na perspectiva da promoção da emancipação e da dignidade humana.

Diferença não é doença: respeito é um direito!