Proteção para o povo Waiãpi: Comissões de Direitos Humanos do CFP e CRPs exigem rápida ação do Estado brasileiro

*Texto de www.site.cfp.org.br, com colaboração da Comissão de Direitos Humanos do CRP-PR

As Comissões de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia (CFP) e dos Conselhos Regionais de Psicologia (CRPs) vêm a público demonstrar solidariedade e exigir justiça aos povos indígenas no Brasil, em especial, no Amapá, após a invasão da Terra Indígena Waiãpi por um grupo de garimpeiros, o qual, fortemente armado, atacou esta etnia e invadiu o seu território, matando uma das lideranças indígenas do referido povo.

 

Em um mesmo ato, houve violação de direitos, práticas de várias modalidades de violência, invasão do território indígena e um homicídio. Portanto, a situação é gravíssima e exige rápida ação do Estado brasileiro, particularmente da Polícia Federal e da Funai, retirando os invasores e investigando os crimes cometidos. Propomos, ainda, a articulação de vários organismos, como o Ministério Público Federal e a Defensoria Pública da União, instituições e atores da sociedade civil com o objetivo urgente de proteger o povo Waiãpi e de tomar as providências necessárias em face de tão grave situação.

 

O massacre dos povos indígenas vem conduzindo ao intenso sofrimento e até mesmo levando ao aniquilamento físico e da subjetividade dos povos indígenas. A saúde mental e coletiva destes povos no Brasil tornou-se um desafio complexo extremamente tenso e delicado diante da rede de interesses financeiros, políticos, culturais e psicossociais sobre os recursos da biodiversidade envolvidos nos territórios demarcados e no campo da diversidade sociocultural. Demonstramos a nossa acolhida da dor extrema do povo indígena Waiãpi e solicitamos ações urgentes de proteção deste povo tanto pelo Estado quanto as realizadas pela sociedade civil.

Rolar para cima