Notícia

Propostas das chapas que concorrem à consulta nacional para a próxima gestão do CFP

Caras(os) Psicólogas(os),Na sequência, você encontrará três textos com as propostas eleitorais das chapas que concorrem à consulta nacional para a gestão 2013-2016 do Conselho Federal de Psicologia.  RENOVAÇÃO: COMPROMISSO COM A PROFISSÃO – CHAPA 21 Atuação do CFP em áreas de interesse da categoria profissional com direcionamento das demandas que não são de sua competência para os órgãos governamentais existentes.

Reestabelecimento do critério de igualdade de representatividade independente do quantitativo de profissionais inscritos (Decreto nº 79.822/77).

Revisão e atualização do Código de Ética Profissional.

Posicionamento contrário ao Projeto de Lei 4364/12, que altera a Lei 5.766/71 com retirada de pauta das comissões da Câmara dos Deputados, para ampla discussão.

Proporcionar fórum de discussão entre os professores acadêmicos sobre o currículo mínimo dos cursos de Psicologia, para apresentar propostas de reformulação curricular junto ao MEC.

Criar a COMISSÃO DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS para proposição e acompanhamento de projetos de leis de interesse da profissão de Psicólogo, auxiliando também os Conselhos Regionais nos níveis estaduais e municipais.

Criar a COMISSÃO DE DEFESA DAS PRERROGATIVAS DA PROFISSÃO DE PSICÓLOGO, com objetivo de Proteger e defender as prerrogativas da profissão em todas as especialidades, previstas nas legislações pertinentes e resoluções do CFP com atuação nas diversas esferas do poder público.

Criar a COMISSÃO DE ATUAÇÃO INTERDISCIPLINAR em parceria com outros conselhos e entidades de classe, discutir a prática interdisciplinar da Psicologia com outras áreas do saber (ex.: Psicologia do Esporte, Neuropsicologia e Psicopedagogia.

Defesa da jornada de 30 horas.

Instituição de Plenárias itinerantes do Conselho Federal de Psicologia.

Implementar as resoluções já aprovadas pelo Conselho Federal de Psicologia.

Inclusão do psicólogo Especialista em Psicologia Escolar no Plano de Cargos, Carreiras e Subsídios da área de educação em todos Estados que ainda não contemplam profissionais.

Participação de representantes de associações e demais instituições ligadas à Psicologia do Esporte na banca examinadora da prova de título de especialista em Psicologia do Esporte.

Instituição de Fórum Nacional para discutir a praxis do psicólogo no sistema prisional.

Exigência de título de especialista em Psicologia do Esporte para professores da disciplina de Psicologia do Esporte nas universidades.

Atualizar tecnologicamente documento de identificação profissional dos Psicólogos.

Propor a isenção da taxa de inscrição da 1ª carteira para os recém-formados até um ano após a data de colação de grau.

Revisão das resoluções com questionamentos jurídicos e constituição de uma comissão para reavaliação das mesmas.

Fazer gestão junto ao MEC para incluir nos cursos de formação dos psicólogos, temas como Problemas Relacionados ao Álcool, Tabaco e outras Drogas dentro de uma visão de Saúde e Segurança Pública.

Desenvolver campanha nacional para estimular a população a procurar os serviços psicológicos.

Estreitar o contato com os órgãos de administração pública de todos os municípios brasileiros, visando a divulgação do trabalho do psicólogo e a abertura de campo de trabalho aos profissionais

Desenvolver campanha nos veículos de comunicação para divulgar o papel do psicólogo no auxílio a prevenção da violência e criminalidade.

Desenvolver campanha por meio dos veículos de comunicação, fóruns, debates, simpósios, para divulgar a Psicologia do Esporte e a Neuropsicologia como prática psicológica.

Fomentar, junto com os conselhos regionais, a publicação de guia profissional (por município) para facilitar o conhecimento e acesso da população aos serviços psicológicos e seus respectivos profissionais.

Desenvolver campanha nos veículos de comunicação, fóruns, debates, simpósios, para divulgar a importância do psicólogo na equipe de Investigação Criminal.

Exigência de qualificação mínima para um supervisor de estágio em Psicologia, bem como estabelecimento de um número máximo de alunos por supervisor.

Inclusão do psicólogo nos Conselhos de Controle Social de Trânsito, possibilitando a representação da categoria no processo de resgate da cidadania dos usuários e estimular a criação dos conselhos onde não existam.

Buscar isenção de tributos na importação de ferramentas tecnológicas (biofeedback e outras), a fim de garantir a modernização das práticas dos psicólogos e psicólogas.

Criar, no âmbito da autarquia (CFP), a WebTv e a Webrádio.

Implementação e regulamentação das teses aprovadas nos fóruns de Psicologia do sistema conselhos e Caderno de Psicologia do Trânsito e Compromisso Social.

Exigência de experiência mínima de três anos para exercício da atividade acadêmica de Supervisor de Estágio.

Reavaliação dos critérios do SATEPSI para aprovação de testes psicológicos.FORTALECER A PROFISSÃO – CHAPA 22

Constituímos um coletivo de psicólogas(os) brasileiras(os) composto de grupos diversos sem centros de poder externos a este coletivo. Temos como principio fundamental a convicção de que, como profissionais da área de Psicologia no Brasil, somos muitos e somos plurais.

Em nosso país, no caminho da regulamentação da nossa profissão, as diferenças  estiveram explícitas, o que não impediu que nos desenvolvêssemos como ciência e profissão com pertinência e reconhecimento social. Ao contrário, crescemos com a nossa diversidade e pluralidade.

Temos vários sotaques que procuramos expressar na nominata da nossa chapa em que está contemplado o maior número possível de estados da nossa federação. Nossas diferenças precisam também estar presentes na gestão de um órgão de caráter nacional para além de uma representação geográfica. 

Nossa convicção é de que, para a Psicologia avançar, é preciso de que ela seja universalista, sem desqualificar os que ousam expressar nossas diferenças. Não somos um grupo com a proposta de um modelo hegemônico de Psicologia. Contamos com a participação política das(os) psicólogas(os) brasileiras(os) compartilhando seus ofícios cotidianos e inscrevendo as tensões próprias a uma profissão plural na plenária de seu órgão de classe. Como a história da nossa profissão nos mostra é aceitar as diferenças que nos faz avançar. 

Não somos um grupo instituído embora muitos dos componentes da chapa atual tenham concorrido na eleição passada. Esta foi uma das razões para mantermos o nome FORTALECER para identificar a chapa. O verbo fortalecer remete a uma postura de não infantilização da categoria das(os) psicólogas(os) ou ações de tutela sobre suas práticas. Propomos uma gestão que, quando da emissão de resoluções não privilegie  conteúdos proibitivos, mas propositivos.

Propomos trabalhar com um Coletivo Ampliado divulgado e que também possa ser avaliado pela categoria.  Está composto por psicólogas e psicólogos com representatividade em alguns espaços de atuação e ocuparão o papel de principais interlocutores do Conselho Federal de Psicologia com outras entidades representativas na proposição das políticas e práticas do nosso fazer.

Nós, enquanto, neste momento, ocupamos a posição de membros da chapa, não  priorizamos a ocupação de cargos.  Vamos implementar  o rodízio de pessoas nos cargos da diretoria,  como ocorre nos Conselhos Regionais,  com o objetivo de democratizar a gestão e contemplar a pluralidade da nossa própria nominata.

Apresentamo-nos com a disposição de olhar para o futuro sem o intuito de apagar o passado. Aspiramos a utopia enquanto história em potencial e lutamos pelo exercício da Psicologia balizada pela ética e pelo respeito à diversidade e à pluralidade.Composição Mariza Monteiro Borges – Distrito Federal – Presidenta

Rogério de Oliveira Silva – Minas Gerais – Vice – Presidente

Maria da Graça C. Jacques – Rio Grande do Sul – Secretária

Sérgio Luis Braghini – Paraná/São Paulo – Tesoureiro

Dorotéa A. de Cristo – Pará – Secretário Região NorteMeire Nunes Viana – Ceará – Secretário Reg. Nordeste

Inara Barbosa Leão – Mato Grosso do Sul – Secretário Reg. Centro-oeste

Lurdes Perez Oberg – Rio de Janeiro – Secretário Reg. Sudeste

João Baptista F. de Oliveira – Paraná – Secretário Reg. Sul

Nádia M. Dourado Rocha – Bahia – Conselheira 1

Rosano Freire Carvalho – Pernambuco – Conselheiro 2

Silvana Carneiro Maciel – Paraíba – Suplente

Eliandro Rômulo C. Araújo – Maranhão – Suplente

Viviane M. de A. Ribeiro – Tocantins – Suplente

Jacqueline de O. Moreira – Minas Gerais – SuplenteMadge Porto Cruz – Acre – Suplente Região Norte

João Carlos Alchieri – Rio Grande do Norte – Suplente Reg. NordesteVera Lucia Morcelli – Goiás – Suplente Reg. Centro-oeste

Sandra L. de Souza Alencar – São Paulo – Suplente Reg. SudesteRoberto Moraes Cruz – Santa Catarina – Suplente Reg. Sul

Maria Augusta R. Speller – Mato Grosso – Suplente de Conselheiro 1

Jefferson de S. Bernardes – Alagoas – Suplente de Conselheiro 2CUIDAR DA PROFISSÃO – CHAPA 23 O Movimento Para Cuidar da Profissão nasceu em 1996 e, desde então, vem formulando propostas quecontribuam para que os psicólogos possam fortalecer sua presença na sociedade. A nossa profissãotem apenas 45 anos, regulamentada pela Lei 4.119. Na época, eram poucas(os) psicólogas(os),com pequena participação no mundo de trabalho. Hoje, somos mais 200 mil. A organização é uma necessidade para construir nosso futuro, em busca dequalidade profissional e de legitimação, fortalecendo o lugar social dos psicólogos por meio de umprojeto nacional.  CUIDAR DA PROFISSÃO  significa a produção de um discurso coletivo,o que implica trabalhar institucionalmente a pluralidade da Psicologia. É dessa forma que temosatuado nas entidades da categoria e nos Conselhos. Os Conselhos são órgãos de orientação, fiscalização e regulamentação da profissão. Por isso, não podemos  dispensar nenhuma contribuição. É preciso atenção  ao exercício profissional. Nossas propostas norteiam o futuro que queremos. Vamos aprimorar a presença da Psicologianas suas várias áreas, assim como seus instrumentos, técnicas e sua presença nas políticas públicas, para atender às demandas sociais.  Composição Presidenta  – Biancha Angelucci (SP) Vice-presidenta – Monalisa Barros (BA) Secretária – Ana Luiza Castro (RS) Tesoureira – Sandra Amorim (MS) Repr. Efetiva Região Norte – Selma de J. Cobra (AM) Repr. Supl. Região Norte – Ana Cleide Moreira (PA) Repr. Efetiva Região Nordeste – Ionara Dantas Repr. Supl. Reg. Nordeste – Nelson G. e S. Silva Jr (PB) Repres. Efetiva Reg. Centro-Oeste – Regina Pedroza (DF) Repr. Supl. Reg. Centro-Oeste – Kássia Kelly Gomes (GO) Repr Efetiva Região Sudeste – Marilene Proença (SP) Repr. Suplente Região Sudeste – Márcia Mansur (MG) Repr. Efetiva Região Sul – Alayde Digiovanni (PR) Repr. Suplente Região Sul – Eliz M. Winggers (SC) Conselheiro 1 – Pedro Paulo Bicalho (RJ) Conselheira 2 – Maria Cristina B M. Pellini (SP) Conselheira Supl. 1– Ana Hirlene de B. C. Oliveira (CE) Conselheira Suplente 2– Giovanna Marafon (RJ) Suplente – Clélia Prestes (SP) Suplente – Eliana Olinda (RJ) Suplente – Lourdes Machado (MG) Suplente – Roberta F. Lemos (SP)

Rolar para cima