Notícia

Paraná oferece serviço de escuta psicológica online

Um grupo de Psicólogas(os) voluntárias(os) está oferecendo atendimento voluntário para questões relacionadas à pandemia do coronavírus e seus efeitos, em parceria com o Governo do Estado do Paraná.

 

Desde março, o governo já disponibilizava o atendimento médico em modalidade remota, por meio do aplicativo Telemedicina Paraná, para pessoas com sintomas ou dúvidas relacionadas à Covid-19, com médicas(os) voluntárias(os).

 

Em maio, o mesmo aplicativo passou a comportar também atendimentos online oferecidos por Psicólogas(os). Ressalta-se que não se trata de um processo de psicoterapia, mas de uma escuta qualificada voltada a situações emergenciais, como explicam as Psicólogas Jeanine Rolim (CRP-08/22077) e Carolina Simeão (CRP-08/31130), idealizadoras e coordenadoras do projeto ApoiaPsy.

Atendimentos

Os atendimentos ofertados são pontuais e têm duração de 30 a 50 minutos, voltados a pessoas que demandem uma escuta e acolhimento frente a situações causadas pela pandemia e suas consequências. “O paciente é atendido em uma modalidade chamada de serviço emergencial, em que é feito um acolhimento, uma escuta ativa, para ouvir suas angústias e investigar o que vem em sua mente, para então prestar orientações sobre como lidar com a situação pela qual ele passa”, explicou Jeanine à Agência Estadual de Notícias.

 

As pessoas interessadas deverão acessar a plataforma Telemedicina Paraná e passarão por triagem com equipes do Governo do Estado.

 

Os atendimentos são prestados segundo protocolo de atenção em situações de emergência, conforme orientações e referências do Sistema Conselhos de Psicologia.

Benefícios

Os atendimentos ofertados podem contribuir para o acolhimento, para que as pessoas atendidas se organizem melhor e para que possam desenvolver estratégias de saúde a partir da escuta realizada.

 

“Esse protocolo ajuda o paciente a acolher o seu sentimento e a acalmar a si mesmo”, relata Jeanine. A Psicóloga também explica que “é coerente que as pessoas sintam medo nessa situação, faz sentido se sentir aflito, pois é uma gama de preocupações que sem dúvida altera os sentimentos”. “Há muito medo de contrair a doença, de deixar uma pessoa querida desassistida e mesmo de perder seus meios de sobrevivência, além da desesperança com o futuro incerto”, diz.

 

Além disso, a parceria com o Governo do Estado proporciona a possibilidade de encaminhamentos para atendimento médico e serviços públicos quando demandas forem identificadas.

 

Saiba mais sobre a iniciativa  clicando aqui.

 

Voluntariado

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) entende que o voluntariado é potencializado quando realizado em grupo, com suporte à(ao) voluntária(o) e possibilidades de encaminhamento. Sendo assim, apoia esta iniciativa, participando da construção do documento de orientação às(aos) profissionais voluntárias(os).

 

Ressalta-se que, mesmo de caráter voluntário, todas as práticas em Psicologia devem resguardar o compromisso com a qualidade e com os princípios éticos e técnicos da profissão.

 

Podem participar como voluntárias(os) Psicólogas(os) inscritas(os) e ativas(os), com cadastro na plataforma E-Psi para atendimentos online, que passam por orientação e têm acompanhamento da equipe gestora do projeto, também voluntária. Até o momento, o grupo de voluntárias(os) tem conseguido suprir a demanda de atendimentos. Caso seja necessária ampliação, a equipe do projeto ApoiaPsy e o CRP-PR divulgarão em suas redes.

 

Para saber mais sobre atuação voluntária no contexto da pandemia, acesse as respostas de nossas Perguntas Frequentes  e também a Nota Técnica nº 01/2020 do CRP-PR.

Compromisso com a saúde pública

Neste momento crítico em que nos encontramos enquanto sociedade, o voluntariado surge como uma iniciativa legítima de diversas(os) profissionais da Psicologia e de outras formações para promoção de solidariedade e redes de apoio. A iniciativa responde a um compromisso das(os) profissionais com a saúde pública, sem prescindir do papel do Estado na manutenção de serviços, estrutura de atendimentos e equipes profissionais com condições de trabalho e remuneração.

 

Para enfrentar os efeitos da Covid-19 e para a construção de uma sociedade mais justa, reconhecemos como fundamental a atuação do Estado na promoção das condições de sobrevivência e produção da vida por parte da população. Nesse sentido, o CRP-PR e o Sistema Conselhos de Psicologia seguem promovendo diálogos interinstitucionais e atuando junto a gestores(es), empregadoras(es) e sociedade em geral para defesa do Sistema Único de Saúde, dos direitos das(os) trabalhadoras(es), do papel da Universidade e da ciência.

Rolar para cima