Notícia

Marcha pela Diversidade acontece pela primeira vez em Curitiba e encerra a semana de luta contra homofobia e transfobia

O dia 17 de maio é lembrado mundialmente como o Dia Internacional da Luta contra a Homofobia. Neste dia, em 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) tirou a homossexualidade do índice de Classificação Internacional de Doenças (CID). No Brasil, um decreto federal reconhece a data oficialmente, assim como leis no Estado do Paraná. O lema deste ano é “Saúde Mental e Bem-Estar”.

Semana da Diversidade

Em memória do Dia Internacional da Luta contra a Homofobia e a Transfobia e abrindo os festejos de junho – “Mês do Orgulho Gay” –, diversas atividades estão na agenda da cidade entre os dias 16 e 22 de maio. A Semana da Diversidade é uma iniciativa do Transgrupo Marcela Prado, do Grupo Dignidade e da União Nacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (UNA LGBT), em conjunto com outras organizações parcerias, e promoverá debates com órgãos públicos e privados. Confira algumas das atividades que ocorrerão nestes dias:

16/05/2016 – Audiência na Câmara Municipal de Curitiba e eventos nos sindicatos parceiros

17/05/2016 – Audiência na Assembleia Legislativa do Paraná e eventos nos sindicatos parceiros

18/05/2016 – Eventos promovidos pela OAB, CRESS, Defensoria Pública, MP, SESP, SESA

19/05/2016 – Eventos da educação em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, a Secretaria Municipal da Educação, Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Paraná

21/05/2016 – Festa oficial pré-marcha 

22/05/2016 – Marcha pela Diversidade 

22/05/2016 – Festa oficial pós-marcha 

Para encerrar a semana, a capital paranaense será palco, da Marcha pela Diversidade, que agora fará parte do calendário de eventos da cidade pelos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. O evento acontecerá no dia 22 de maio, a partir das 13h30, com saída prevista às 14h da Praça Santos Andrade, na região central de Curitiba.

Psicologia na Luta contra a Homofobia e Transfobia

Mesmo com decretos e leis que amparam a população LGBT, ainda há uma grande luta no enfrentamento a discriminação e estigmatização e a Psicologia tem um papel fundamental na defesa dos Direitos Humanos e LGBT.

Para a Psicóloga do CPATT (Centro de Pesquisa e Atendimento para Travestis e Transexuais), Ana Lúcia Canetti (CRP-08/10403), a Psicologia deve respeitar a diversidade e a construção dos sujeitos. “Vejo como urgente e fundamental o respeito à diversidade e a tarefa de colaborar para a desconstrução de estigmas, que historicamente foram se construindo principalmente baseados em preceitos religiosos. Estes estigmas só causam sofrimento aos sujeitos e ampliam situações de crueldade e violência”, diz.

A profissional sustenta que não compete à Psicologia tentar impor modelos de família, de corpos, de sexualidade, de identidade de gênero, entre outras coisas. Neste contexto, a Psicologia constrói o dia a dia com base na escuta, no diálogo, na valorização da palavra do outro e na amplificação da potência humana em sua diversidade e riqueza.

CPATT

O Centro de Pesquisa e Atendimento para Travestis e Transexuais (o CPATT) foi inaugurado em fevereiro de 2014 e é uma grande conquista dos movimentos sociais em Curitiba. No local, é feito o acompanhamento psicológico, social e médico para pessoas transgênero que precisam de ajuda em seu processo transexualizador e de inserção social. 

O atendimento é feito na Secretaria de Saúde do Estado do Paraná, mas ainda há muito a ser conquistado. Uma das demandas dos movimentos é o credenciamento do Ministério Público para realizar cirurgias de readequação sexual – no Brasil, apenas cinco estados possuem ambulatórios autorizados a realizar o processo: Pernambuco, Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. A Psicóloga Ana Lúcia Canetti conta que o principal objetivo é que o trabalho psicológico realizado no Centro possa colaborar para o enfrentamento dos casos de violência e estigmatizações, atuando com os sujeitos no fortalecimento de seus vínculos e projetos de futuro e intervindo junto às famílias ou as redes de convívio, quando for necessário.

O CPATT fica localizado na Rua Barão do Rio Branco, 465, no centro de Curitiba. O horário de atendimento é de segunda à sexta-feira, das 13h às 17h30.

Rolar para cima