Notícia

Jornada trouxe esclarecimentos aos profissionais sobre o papel da(o) Psicóloga(o) no SUAS

Na última sexta-feira (11), o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) sediou a “Jornada sobre o SUAS e os desafios à Psicologia, à Intersetorialidade e à Interdisciplinaridade”. Em um dia inteiro de evento, as(os) Psicólogas(os) acompanharam os debates e mesas-redondas, além de assistirem a peça teatral “Na Boca da Noite”, que versou sobre as desigualdades sociais, direitos humanos, cidadania, violência nas cidades, desemprego e a valorização da vida.

Num primeiro momento, foi realizada uma apresentação sobre as ações do CRP-PR em relação à prática do psicólogo no SUAS. O levantamento apresentado pela conselheira Solange Maria Rodrigues Leite, coordenadora da Comissão de Psicologia Social e Comunitária, trouxe alguns dados sobre como o trabalho se apresenta no contexto do Paraná, a partir de avaliações decorrentes do “Dialogando no SUAS” (ação descentralizada da gestão “É Tempo de Diálogo!” com objetivo de conhecer e articular algumas das demandas dos profissionais), que desde 2014 tem ocorrido em diversas regiões do Estado.

As Profªs Dras. Verônica Morais Ximenes e Andrea Fernanda Silveira trouxeram para a mesa redonda: “Desafios da Psicologia no SUAS”, questões que envolvem a rotina da(o) profissional que está inserida(o) na área e trabalha em conjunto com a(o) Assistente Social. Durante a mesa redonda: “A pobreza e judicialização nas políticas públicas”, conduzida pela Dra. Verônica e pelo Dr. Olympio de Sá Sotto Maior Neto, foram levantadas questões e a importância em compreender como a situação da pobreza está presente no desenvolvimento humano e de que forma a(o) profissional deve se preparar para lidar com essas questões. Para a Psicóloga Andrea Sperka (CRP-08/17152), atuante no Centro de Inclusão Social do Adolescente (CISA) de Piraquara/PR, o evento foi importante porque trouxe esclarecimentos sobre a posição da(o) Psicóloga(o) dentro do SUAS: “Por ser uma área nova, existe dificuldade nos atendimentos, principalmente quando são individuais. Atendemos a população e não o indivíduo de forma mais fechada. Essa é a diferença. As palestras acrescentaram e ajudaram na compreensão do que pode ser feito em situações diversas”, afirmou. A Profª Verônica Ximenes completou sua fala, deixando um estímulo às(aos) Psicólogas(os): “Possuímos habilidades e competências, entretanto, nos sentimos inseguros ao aplicá-las. Mas, não devemos esquecer que temos o conhecimento necessário, que nos foi dado na faculdade, e que nos permite fazer e aplicar na profissão.”

Ao final do evento, houve uma sessão de diálogo com os palestrantes conduzida pelas conselheiras responsáveis pela atividade e integrantes da Comissão de Psicologia Social e Comunitária.  

Psicóloga(o), fique atenta(o) à agenda de eventos do CRP-PR! Não deixe de participar!

Rolar para cima