Notícia

Fórum de Conselhos se reúne com instituições estaduais após suspensão da vacinação de profissionais da saúde

*Com informações do FCRAS

Após a suspensão da imunização de profissionais das categorias de saúde previstas na primeira fase do Plano Municipal de Vacinação de Curitiba e a escassez de vacina para atender aos critérios do Plano de Vacinação Estadual, presidentes das autarquias que compõem o Fórum dos Conselhos Profissionais da Saúde do Estado do Paraná (FCRAS) – entre elas o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) –, participaram, na última terça-feira (09), de uma reunião virtual com representantes de diversas instituições: Procuradoria Regional do Trabalho da 9ª Região, Ministério Público Federal, Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, Promotoria de Saúde do Ministério Público Estadual, Defensoria Pública da União, Defensoria Regional de Direitos Humanos e Defensoria Pública do Estado, além das Secretarias de Saúde do Estado do Paraná e do município de Curitiba.

A proposta da Secretaria Municipal de Saúde, segundo informações do FCRAS, foi de que a vacinação permaneça suspensa por cinco dias, em consonância com a decisão do Ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, que deu prazo semelhante para que a União apresente critérios mais detalhados para os grupos prioritários para a vacinação, e que foi base para a sugestão do Núcleo da Saúde Pública da Promotoria de Justiça de Curitiba.

Já o FCRAS defendeu que a vacinação seja retomada de forma imediata, ainda que de forma escalonada, de acordo com definições das autoridades municipais com base nos dados de profissionais que foram enviados de forma célere quando solicitados. Além disso, o Fórum solicitou que os critérios sejam divulgados de forma transparente e que profissionais que atuam na linha de frente de combate à Covid-19 recebam a imunização. Este plano, contudo, poderia ser executado em paralelo à vacinação de outros grupos de risco, como o de idosos, sendo que o sucesso da campanha depende diretamente do adequado investimento na compra de vacinas. “É preciso ter vacina para todas e todos para que possamos superar a grave crise que enfrentamos”, finaliza a nota do FCRAS.

O CRP-PR aguarda novas orientações por parte da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba e reitera que informações sobre o processo de chamamento de profissionais ou critérios de enquadramento para a vacinação, adotados pela Prefeitura de Curitiba, são exclusivamente decididos pela autoridade sanitária municipal. Não houve, até o momento, novas orientações sobre quando e como o processo de vacinação será retomado. Assim que houver novas informações oficiais, o CRP-PR contribuirá com a divulgação da Prefeitura por meio de seu site e redes sociais.