Notícia

Equipe Editorial da CadernoS de PsicologiaS homenageia Hyara Ferreira

O CRP-PR e a Comissão Editorial da revista CadernoS de PsicologiaS lamentam o falecimento da Assistente Social Hyara Ferreira. Em solidariedade às pessoas amigas, familiares e colegas de profissão, registramos o nosso pesar ao mesmo tempo em que somos gratos pela oportunidade de ter, na nossa primeira edição, um texto construído com a participação da profissional. Sua contribuição permanecerá em nossa memória e nas reflexões que Hyara provocou. A seguir, divulgamos mensagem escrita por amigas(os) em homenagem a ela.

Hyara Ferreira,

se pudéssemos escolher seus sobrenomes, seriam Dedicação e Amor!

Quem via essa menina toda sorridente e com um bom humor fora do comum, não supunha o que ela passava dia a dia. Foram noites em claro trabalhando para ter o dinheiro das passagens de ida e volta da faculdade, para os lanches, para o xérox…  Após um dia extenuante de trabalho, voltando para casa, cansada, permitiu-se fechar os olhos em um ponto de ônibus. Seus olhos só abriram quando o ônibus já havia passado. Naquele dia, dormiu no ponto, mas foi só nesse ponto, naquele dia. Na vida ela não dormia no ponto.

Quanta energia, quanto amor, quanta dedicação, quanta luta para que tudo fosse do jeito certo. Enfim veio o grande dia, o resultado de um concurso tão disputado que veio a ser seu o primeiro lugar. E quão merecido foi! Dele veio a Assistente Social Hyara Ferreira, um exemplo para os colegas de trabalho, um orgulho para seus familiares, amigos e sua companheira.

Atendia pessoas bem diferentes, mas nunca a vimos tratá-las com diferença.

Quando sentávamos em uma praça, um restaurante ou um lugar aconchegante, ela sempre dizia quando avistava um senhor ou uma senhora: “Sabe o que eu tenho vontade? De saber a vida de cada um, o porquê está ali sozinho, seria uma escolha? Será que existe algum arrependimento? Uma dor?”. O que nos toca nisso, é saber que mesmo em um dia comum, de nosso lazer, ela com aqueles olhos lindos e pensamentos genuínos estava preocupada com tudo a sua volta.

Durante toda a nossa convivência, ela viveu intensamente. Foram-se viagens, sonhos e amores sinceros.  Amou e foi amada. Teve todo carinho e cuidado que merecia. Plantava uma semente de boa convivência por onde passava. Emociona-nos saber que essas sementinhas floresceram, florescem e florescerão no coração dos que ficaram. A saudade e todo o amor plantados permanecem, regou e hoje estamos colhendo. Em tudo dai graças!

Não lutou bravamente apenas pela sua carreira, mas também pela vida, pela sua saúde até seus últimos dias. Cada dia, cada minuto e cada segundo eram comemorados como uma vitória. Venceu o câncer. Enfrentou bravamente o tratamento até o último dia, mesmo exausta. Sorrimos e comemoramos esse dia, mas infelizmente teve suas complicações. Hipertensão intracraniana, sem diagnósticos que comprovem o porquê se agravou dessa forma. Neste dia, ela se permitiu fechar os olhos, mas, ao contrário daquele dia, o ônibus a levou, mas foi só neste ponto, neste dia… Em vida, ela não dormia no ponto…

Sabíamos, todavia, de que ela já tinha cumprido sua missão na Terra, lindamente por sinal, e foi viver ao lado do Senhor, sempre grata de tudo!  

Hyara, um ser de luz, de amor e de dedicação. Deixou um legado: o amor ao próximo!

Seus amigos,

Evelise, Silmara e Lucas