Equipe do CRP-PR se reúne para integração e planejamento de ações

Equipe em atividade de planejamento de ações do CRP-PR para os próximos meses

Na última terça-feira (23), a equipe técnica e administrativa do Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) se reuniu para um dia de integração e planejamento de atividades. Um dia antes (22), as Orientadoras Fiscais do CRP-PR participaram de uma reunião para rever fluxos e processos de orientação.

O dia de integração de toda a equipe (23) começou com um café da manhã nas dependências da Sede, em Curitiba. A maioria das pessoas vestia uma peça de roupa rosa, em alusão ao mês de prevenção do câncer de mama. Depois deste momento, a equipe seguiu para uma palestra sobre o mercado de trabalho e as competências esperadas das(os) profissionais do futuro, ministrada pelo Psicólogo e consultor Raul Zanon (CRP-08/11764), e para uma atividade de acompanhamento do Planejamento Estratégico.

Conselheira-secretária Carolina de Souza Walger (CRP-08/11381) explica a atividades para a equipe

“Esta gestão estabeleceu como um dos eixos importantes do Planejamento Estratégico inovar nos processos internos. Entendemos que todas as ações do Conselho só são possíveis se temos procedimentos internos, fluxos e comunicação eficientes, além de uma equipe técnica e administrativa capacitada”, explica a conselheira-secretária Carolina de Souza Walger (CRP-08/11381). “Por mais que os treinamentos aconteçam no dia a dia, momentos formais são importantes para que a equipe possa repensar seu papel, suas ações e seus processos”, complementa.​

Carolina também lembra que estas reuniões, que vêm sendo realizadas desde o início da gestão, são importantes para integrar diferentes setores e membros da equipe, bem como a Sede e as Subsedes. “Isso garante que a atuação do Conselho em todo o Estado aconteça da mesma forma, com atendimento adequado à categoria e à sociedade, atingindo seus objetivos de maneira eficaz”, explica.

A gestão de pessoas no CRP-PR, no entanto, acontece para além destes momentos formais, seja em programas de seleção de pessoas, avaliação de desempenho e remuneração. “Toda instituição, seja pública ou privada, deve se dedicar a estas ações, porque os processos institucionais só são possíveis por meio das pessoas que os executam. Isso impacta na motivação, satisfação e engajamento das pessoas com o trabalho”, avalia a conselheira.