Notícia

Dia Mundial da Saúde | Como o CRP-PR luta pelo acesso universal à saúde no controle social de políticas públicas?

“Saúde universal: para todas e todos, em todos os lugares” é o lema da campanha 2019 da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) para o Dia Mundial da Saúde, celebrado em 07 de abril. A instituição, que representa a Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, elencou uma série de medidas que tomadores de decisão, profissionais da saúde, pessoas e comunidade e a mídia podem adotar para “combater a pobreza, a injustiça social, as lacunas educacionais e as condições precárias de vida, entre outros fatores que influenciam a saúde das pessoas”. Segundo a página da OPAS, todos estes atores sociais “têm um papel a desempenhar, estimulando debates e contribuindo para o diálogo sobre políticas que podem ajudar o seu país a alcançar e manter a saúde universal”.

A Psicologia na luta pela saúde para todas e todos

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) atua ativamente nas instâncias do controle social, buscando a construção de políticas públicas justas para toda a população. E a luta pela saúde universal – e de qualidade – é uma delas.

Em 2019, o CRP-PR está participando de mais de 20 Conferências Municipais de Saúde, buscando articular uma delegação para a 12º Conferência Estadual de Saúde do Paraná e retomar a vaga de representação no Conselho Estadual de Saúde.

O Assessor Técnico de Políticas Públicas do CRP-PR, Psicólogo César Rosário Fernandes (CRP-08/16715), elaborou um vasto material que norteia as(os) profissionais que estão participando, desde fevereiro, das etapas municipais dos debates (clique aqui para ver o calendário). O documento, que também vem assinado pela coordenadora da Comissão de Saúde do CRP-PR, Psicóloga Semíramis Maria Amorim Vedovatto (CRP-08/06207), é um compilado das principais pautas defendidas pelo CRP-PR na área da saúde.

“A articulação das Psicólogas e dos Psicólogos para a manutenção das conquistas da Reforma Psiquiátrica e dos serviços gratuitos do Sistema Único de Saúde é fundamental neste momento em que se coloca em xeque a continuidade de um sistema de acesso universal à saúde, em consonância com a defesa da dignidade e dos direitos humanos”, afirma César Fernandes, referindo-se a ações governamentais que alteram as políticas de serviços e financiamento da saúde, educação e assistência social.

O Psicólogo também destaca que a linha-guia apresentada às(aos) representantes aborda a questão do atendimento psicológico nos planos de saúde. “Precisamos defender um atendimento que garanta a autonomia das e dos profissionais da Psicologia, bem como uma adequada remuneração”.

Entre os posicionamentos construídos e defendidos pelo CRP-PR na área da saúde (ver abaixo) ainda está a despatologização das vivências LGBTIQ+, a garantia dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, a atenção adequada às mulheres em situação de violência e o combate a qualquer tipo de preconceito na atenção em saúde.

Que políticas a Psicologia defende para uma saúde universal?

Rolar para cima