No Dia do Indígena, estudante Kaingang fala sobre a importância da Psicologia para os povos indígenas

No Dia do Indígena, marcado anualmente no dia 19 de abril, o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) convidou a estudante Nyg Kuaitá, da tribo Kaingang, para falar a respeito da importância da Psicologia para os povos indígenas. A jovem, que chegou a estudar Psicologia e hoje estuda Serviço Social, destaca que a maneira como a Psicologia está presente hoje para essa população não alcança as demandas e especificidades dos povos indígenas. Neste sentido, já existem políticas públicas que procuram atender as especificidades na área da saúde, a partir da Secretaria Especial de Saúde Indígena, mas que não englobam o atendimento psicológico especializado. Além disso, no atual contexto político, a Secretaria corre o risco de ser extinta ou ter sua estrutura modificada.

Nyg explica que atuar sob uma perspectiva de Psicologia ocidental, ensinada na formação universitária de Psicologia, sem levar em conta as realidades indígenas, pode se expressar como mais um instrumento de colonização. Tendo em vista as vulnerabilidades, problemas sociais e as violências que sofrem os povos indígenas, ela reforça que uma Psicologia com formação específica é uma ferramenta que pode atuar na defesa de direitos, fortalecendo a identidade, a autoestima e a saúde mental dos povos indígenas.

Confira o vídeo em que Nyg fala sobre essas e outras questões referentes à relevância da atuação da Psicologia para os povos indígenas:

Rolar para cima