Notícia

CRP-PR e SOBRAPE exigem providências do Clube Atlético Paranaense

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) e a Sociedade Brasileira de Psicologia do Esporte (SOBRAPE) enviaram um ofício ao Clube Atlético Paranaense de Curitiba, solicitando providências da entidade em relação às declarações do atual técnico do time, Renato Gaúcho, e a dispensa do profissional de Psicologia que trabalhava para o time.

Em entrevista ao site Paraná Online http://www.parana-online.com.br no dia 15 de julho, Renato Gaúcho, afirmou “psicólogo para o meu grupo agora sou eu, porque já passei por essas situações, estive deste lado por 20 anos.”. Segundo a reportagem o novo técnico do clube exigiu a dispensa do profissional da área, por entender que “ … nada melhor que alguém que conhece bem a realidade do atleta para trabalhar a parte emocional em uma situação tão delicada.”.

O CRP-PR e a SOBRAPE, entendem que, através de suas declarações o técnico Renato Gaúcho, demonstra desconhecer o papel do Psicólogo do Esporte. As duas entidades salientam que a orientação, a conversa, algumas formas de motivação são intervenções que podem ser feitas por diversas pessoas que tenham um conhecimento mínimo sobre os temas em questão. Porém, o trabalho do psicólogo não se restringe a conversas, orientações ou formas de motivação, por exemplo.

Trata-se de algo muito mais amplo, complexo e específico que faz com que a Psicologia seja considerada como ciência. É esta especificidade da Psicologia e da atuação do psicólogo que se pretende ajudar a esclarecer, bem como a necessidade da atuação interdisciplinar com profissionais da Educação Física e do Esporte para o desenvolvimento de uma prática interventiva de qualidade.

Em respeito a todos os profissionais que compõem o corpo técnico do time e auxiliam seus jogadores em todas as suas necessidades (técnico, tático e psicológico) o CRP-PR e a SOBRAPE, solicitam que o Clube Atlético Paranaense tome providências no sentido de conscientizar seu técnico de que a forma de trabalhar – aqui no Paraná – não coaduna e abona suas declarações impensadas e desrespeitosas aos profissionais psicólogos pede retratação na mídia, sob pena de medidas outras serem adotadas para tal mister.

Para ter acesso ao ofício na íntegra clique aqui.

Rolar para cima