Notícia

CRP-PR constitui Grupo Interdisciplinar de Estudos em Psicologia Anomalística (GIEPA)

1.    Poderíamos obter informações sem o uso dos sentidos sensoriais?

2.    Perceber os sentimentos/pensamentos ou sensações de alguém sem que isso fosse mediado pelos meios conhecidos?

3.    Afetar a fisiologia de outra pessoa (ou outro ser vivo) somente pela intenção mental, exercida à distância, sem que isso pudesse ser atribuído ao efeito placebo?

4.    Afetar o mundo físico pela intensão mental, sem o uso de tecnologia?

5.    Pressentir fatos do futuro, sem que isto seja fruto de deduções com base em informações e/ou experiências do passado e do presente?

6.    E as pessoas que sentem seu foco de consciência num local diferente de seu corpo físico? Ou relatam terem sido abduzidas por seres alienígenas? Terem experiências místicas, de quase morte, de contato com seres aparentemente espirituais?

7.    Seriam transtornos mentais? Crenças, vieses cognitivos, interpretações equivocadas? Falsas memórias, simples coincidências?

8.    Poderiam existir fatos (fenômenos não compreendidos pelo conhecimento científico atual) subjacentes a estas e outras experiências anômalas (EAs)?

Estudos em várias culturas sugerem que cerca de 50% das pessoas relata ter tido ao menos uma dessas experiências. No Brasil este valor sobe para mais de 80%¹ E mais, a maior parte destas pessoas assinalou ter sido influenciada pelas EAs em termos de suas atitudes, crenças e tomadas de decisão.

Mas, a psicologia estuda isso?

Várias abordagens têm considerado estas experiências.

Atualmente, vemos uma nova área, a Psicologia Anomalística!

Presente em várias universidades no mundo e no Brasil!

Interessou-lhe o tema?

Então venha conhecer o GIEPA. O primeiro encontro será no dia 25/7/14, das 19h as 21h, na sede do CRP-PR. Confirme sua presença pelo e-mail comissoes08@crppr.org.br.

Coordenação:

Psic. Fabio Eduardo da Silva (CRP-08/13866)

(1) MACHADO, F. R. Experiências anômalas na vida cotidiana: Experiências extra-sensório-motoras e sua associação com crenças, atitudes e bem-estar subjetivo. 2009. 344p. Tese (Doutorado) – Instituto de Psicologia. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. 

Rolar para cima