Notícia

“Controle Social” foi tema de mesa-redonda no CRP

Aconteceu, ontem à noite (24), no auditório do CRP-08,  a mesa-redonda que abordou o “Controle Social”. Participaram, como palestrantes,  a assistente social Wanderli Machado (CRESS 0733) – 11ª Região, a socióloga e sanitarista Ligia Cardieri, e o psicólogo e coordenador do Núcleo de Articulação em Políticas Públicas (NAPP) do CRP-08, Bruno Jardini Mader (CRP-08/13323).Wanderli Machado iniciou a discussão lembrando que foi no processo de elaboração da Constituição de 88,  como uma retomada da proposta democrática, que se instituicionalizou o controle social.“O que se queria era ampliar a democracia de representativa para participativa. Espera-se com isso recuperar as injustiças acumuladas. Políticas sociais globalizantes, inclusivas. Queríamos políticas redistributivas”, afirmou ela.A assistente social concluiu dizendo “há muitas fragilidades na atuação dos Conselhos, mas é um espaço importante de luta que deve estar articulada com a luta na rua”. Lígia Cardieri destacou que o conceito de controle social vem da Sociologia,  como mecanismos de controle da sociedade, de um grupo, de todos os indivíduos, ou de grupos. “Qualquer sociedade tem mecanismos de controle social”, enfatizou a palestrante.Segundo a socióloga, o conceito de controle social como espaço institucionalizado se deu a partir de 1990 com a Legislação específica. “ No mínimo temos que lutar pelo cumprimento da lei. Nós não aprendemos a participar e não estamos acostumados a nos preocupar com a coisa pública”, concluiu.Encerrando a discussão o psicólogo Bruno Jardini Mäder, que coordenou a mesa-rendonda, relatou a história do Núcleo de Articulação em Políticas Públicas (NAPP) do CRP-08 e mencionou as dificuldades que se tem de promover a mobilização social. Segundo ele, o controle social,  do ponto de vista da Psicologia pode ser efetivado, a partir da consciência de que o conhecimento técnico dos profissionais da área pode contribuir na construção de políticas públicas sejam elas voltadas para: criança e adolescente, idoso, mulheres, saúde, educação, entre outras.A Mesa-redonda aconteceu dentro da programação das Quartas-feiras do CRP que, esse mês, está discutindo “Direitos Sociais e Ética”.

  
A assistente social Wanderli Machado foi a primeira palestrante da noite.


A socióloga e sanitarista Lígia Cardieri participou da mesa-rendonda.

Rolar para cima