Notícia

Revista Contato: posicionamento político da Psicologia, luto, racismo e outros destaques

Os Congressos Nacionais de Psicologia vêm historicamente apresentando aos Conselhos Regionais e Federal a demanda da categoria pelo diálogo em sociedade em defesa dos Direitos Humanos, da cidadania, no enfrentamento a preconceitos e discriminações. No 10º CNP, realizado em 2019, ficou explícita a expectativa das Psicólogas e dos Psicólogos em relação a seus Conselhos no combate ao racismo, à LGBTIfobia e às diversas expressões da violência presentes em nosso cotidiano. Deste modo, temos realizado esforços para aproveitar datas comemorativas, notícias, fatos de relevância social para, estrategicamente, divulgarmos produções da Psicologia sobre essas temáticas.

Contudo, por vezes, ainda recebemos algumas interpelações por profissionais que não se sentem confortáveis com tais debates, explicitando sua compreensão de que os Conselhos deveriam se pautar exclusivamente em “assuntos da Psicologia” – como se tais reflexões sobre o modo de vida que compartilhamos e as estruturas sociais não o fossem.

Sendo assim, buscamos, nessa edição novembro/dezembro da Revista Contato, dialogar sobre a importância de uma Psicologia crítica, comprometida com a transformação social, que se valoriza ao passo que contribui significativamente para a promoção coletiva de bem-viver. Esperamos que esse debate faça sentido, e permanecemos disponíveis ao diálogo.

Confira alguns outros destaques na edição:

Luto e Memória: Quando a morte nos priva do convívio com amores queridos, por vezes buscamos consolo em memoriais: coletivos ou individuais, físicos ou virtuais, monumentais ou minúsculos. Até a chegada do momento em que o luto se solidifica nesses espaços, no entanto, percorre-se um trajeto marcado por muitas angústias.

Consciência Negra: Só pessoas negras podem se posicionar sobre atitudes racistas? Qual é o caminho para superação definitiva dos privilégios que excluem pessoas negras? Estas e outras perguntas são respondidas pelo Psic. Ramon Andrade Ferreira (CRP-08/28114), da Comissão Étnico-Racial do CRP-PR.

Psicologia Anomalística: Experiências anômalas como as alucinatórias, sinestésicas, místicas ou espirituais, entre outras, são mais frequentes do que se imagina. Por seu forte impacto psicossocial, merecem atenção da Psicologia Anomalística, que possui intersecção com a Psicologia da Religião.