Notícia

Congresso em Curitiba contribui para expandir as atividades da Comissão Étnico-Racial

No último dia 22 de julho, a Comissão Étnico-Racial do Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) esteve presente no II Congresso de Pesquisadoras(es) Negras(os) da Região Sul (II Copene Sul) para uma mesa-redonda sobre desafios e perspectivas das relações étnico-raciais no Brasil, além de um GT intitulado Psicologia e Relações Raciais e também para o primeiro encontro da Comissão Étnico-Racial em Curitiba. “Este congresso é importante pela agregação de pesquisadoras e pesquisadores de diferentes áreas e instituições sociais do Brasil, contando com representantes da América Latina. Assim, considerando que a população negra representa a maioria da população brasileira e que a experiência social, política, religiosa, jurídica, esportiva e de empregabilidade vinculam-se diretamente com a presença de africanos e seus descendentes desde 1530, é mister compreender com quais formas simbólicas, afetivas e cognitivas precisamos lidar para proporcionar a justiça social em todos níveis e estratos sociais”, explica o Psicólogo Jefferson Olivatto da Silva, membro da Comissão Étnico-Racial. “A injustiça das experiências relatadas também durante o congresso demonstra a fundamental participação e esforços da Psicologia pela conquista de acesso e uso dos benefícios da cidadania”, completa. 

Desde o primeiro Copene a Psicologia esteve presente quer demonstrando ações quer levantando problemáticas da invisibilidade do racismo. Nesta segunda edição do congresso, os temas expostos e debatidos foram: racismo nas diferentes instituições sociais; subjetividade e raça; racismo e sofrimento psíquico; gênero e empregabilidade; estética corporal dos cabelos crespos; e campanha de autodeclaração de negros e negras do CRP-RS (Conselho Regional de Psicologia do Rio Grande do Sul).

CRP-PR abraça a causa do combate ao racismo

A temática étnico-racial sempre esteve presente nas ações do CRP-PR, mas a constituição da Comissão Étnico-Racial é vista como um passo decisivo rumo à intensificação do debate. “A participação do CRP-PR na divulgação e apoio das ações, como o chamamento dos encontros e convite para a participação em sua plenária e no XV Encontro Paranaense de Psicologia tem sido fundamental para nós. Primeiro pela credibilidade junto à comunidade de Psicólogas e Psicólogos paranaenses que tem possibilitado agregar profissionais de diferentes áreas e regiões do Estado e, segundo, pelo entendimento compartilhado da comissão de que estudantes podem se aproximar das ações do CRP-PR durante seu processo formativo”, comemora Jefferson.  

A Comissão já iniciou seus encontros itinerantes e conta com Psicólogas(os) que atendem diretamente a população negra e indígena. “Já começamos o levantamento de dados regionais sobre a invisibilidade dessas populações em diferentes áreas sociais, como saúde, educação, jurídica e assistência social”, conta o Psicólogo.

Outros Regionais

Na reunião ocorrida durante o II Copene Sul, estiveram presentes membros da Comissão e também dos Conselhos Regionais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina (CRP-RS e CRP-SC). Durante a reunião, o CRP-RS sinalizou a realização de uma capacitação sobre saúde mental tendo como enfoque a questão étnica. Além disso, os representantes gaúchos e catarinenses mostraram interesse pela comissão e suas reuniões itinerantes – prática que considera a necessidade de constante articulação e mobilidade dos integrantes da comissão em reuniões ocorridas em cidades distintas – sendo que se dispuseram a colaborar partilhando suas experiências com as ações da comissão.

Ainda como resultado da reunião, o Psicólogo Jefferson Olivatto da Silva se dispôs a organizar uma coletânea sobre a Psicologia Étnico-Racial entre as(os) Psicólogas(os) do sul do Brasil. “Também discutiremos o formato de uma campanha de valorização da população negra e indígena”, diz o representante da Comissão paranaense.

Participação popular

Além disso, a Comissão se coloca à disposição da comunidade para dialogar sobre os efeitos psicossociais do racismo e de procedimentos de atuação profissional com gestores e instituições de qualquer instância ou região do Paraná. A população, tanto de profissionais e estudantes de Psicologia como de outras áreas, pode participar dos encontros e contatar a Comissão para dialogar sobre a produção de subjetividade das comunidades negras e indígenas, bem como sobre o racismo. “Também a denúncia do racismo e da injúria racial é um fator importante para que consigamos pontualmente orientar a atuação dos gestores de empresas, serviços e instituições, bem como da atuação de Psicólogas e Psicólogos quanto ao tipo de acolhimento profissional nesses casos”, conta Jefferson.

____________________

As próximas reuniões do grupo estão previstas para os dias 08 de agosto em Irati; 12 de setembro em Curitiba; 17 de outubro em Guarapuava; 07 de novembro em Irati; e 12 de dezembro em Curitiba. Mais informações pelo e-mail comissoes08@crppr.org.br

Rolar para cima