Notícia

Comoção no velório de Zilda Arns

O velório da médica pediatra e sanitarista Zilda Arns Neumann, que está acontecendo no Palácio das Araucárias, em Curitiba, foi aberto ao público no início da tarde.Muitas pessoas vieram prestar a última homenagem a fundadora  e coordenadora nacional da Pastoral da Criança, que morreu vítima do terremoto,  no Haiti, na última terça-feira, dia 12, aos 75 anos.                               

Fila em frente ao Palácio das Araucárias em Curitiba, para acompanhar o velório de Zilda Arns. A comoção era geral entre as pessoas que aguardavam na fila, em frente ao local do velório. Muitas deram um depoimento emocionado sobre as lembranças que ficam de  Zilda Arns.                          

 “Ela foi um exemplo a ser seguido. A bagagem que ela deixou, tantas pessoas que ela  já ajudou (…) E o que fica dela é o exemplo de amor ao próximo, caridade, solidariedade…. Amor!!! Sem amor, acho que ela não teria conseguindo nada”.
  Andrea Chusta – comerciante, voluntária na Pastoral da Criança em Quatro Barras (PR)                                   

“Dela fica,  não só pra mim, mas pra todos no Brasil, o exemplo de uma mulher que nunca teve preguiça de arregaçar as mangas, e trabalhar em prol dos mais pobre, essa é a lição que fica pra todos nós, seres humanos.”Mauro Braga, vigilante, de Curitiba, que veio ao velório com os filhos.                              

  “Dela vai ficar a saudade e boas lembranças”                                               Maria Lúcia Garcia da Silva, de Piraquara, aposentada.                                         

   “Tudo que ela fez, pra tantas e tantas crianças, isso vai ficar na história (…).   É triste, mas eu tenho certeza de que muitos que estavam ao lado dela vão dar continuidade ao trabalho dela”Dinarte Porfílio Ragnini, aposentado, de Rondônia, que está em Curitiba, fazendo visita a familiares.   

 “A gente vê, não como uma perda, mas a gente ganha um olhar lá de cima, e a Pastoral (da Criança) precisa de um olhar lá de cima, pra poder fortalecer aqui embaixo cada vez mais. 
Agora temos que carregar essa bandeira da Pastoral para todos os lugares , principalmente para os países de fora que estão sofrendo aí….”.Meri do Rocio Prohmann, Assistente Social, voluntária da Pastoral da Criança em Quatro Barras (A primeira da direita para a esquerda). Quem foi ao velório recebeu, na saída, uma mensagem impressa que continha o que teriam sido as últimas palavras da Dr.ª Zilda Arns, na palestra que fez numa igreja, na capital haitiana, momentos antes do terremoto:  “Como pássaros, que cuidam de seus filhos ao fazer um ninho no alto das árvores e montanhas, longe dos predadores, das ameaças e dos perigos e mais perto de Deus, devemos cuidar de nossos filhos como um bem sagrado, promover o respeito a seus direitos e protegê-los”.  

Redação:
Licemar Vieira Melo – jornalista do CRP-08

Fotos:
Viviane Martins – estagiária de Jornalismo do CPR-08

Rolar para cima