Vacinação de Psicólogas(os): central de informações

A esperada vacina para a Covid-19 está mais próxima a cada dia e estamos ansiosas(os) por ela. Da mesma forma existem muitas dúvidas sobre como será esse procedimento em cada município. Buscamos centralizar nesta página as informações disponíveis e também os canais para que profissionais do Paraná possam enviar suas dúvidas.

Para saber mais sobre as informações disponíveis, clique e acesse sua cidade: 

Por que meu município não está relacionado?

Se sua cidade não está na relação, o CRP-PR ainda não recebeu informações sobre o plano de vacinação referente ao seu município ou neste plano não está prevista a participação do Conselho Profissional. Nós já enviamos ofícios e seguimos buscando contato com a Secretaria de Estado da Saúde para levantar mais informações e monitorando as iniciativas municipais para repassar informações às(aos) Psicólogas(os) do Paraná.

Continue atenta(o) às nossas redes sociais e ao nosso site, pois as informações são atualizadas diariamente. Se você precisar entrar em contato conosco sobre esse tema, pode enviar mensagem pelo e-mail vacinacaocovid19@crppr.org.br

Por que há grupos prioritários?

Gostaríamos também de comentar que nenhum Conselho ou órgão profissional tem como prerrogativa a definição de critérios de prioridade para vacinação – essa atribuição compete ao Poder Público, às autoridades de Saúde, nas esferas Federal, Estadual e Municipal.

O Sistema Conselhos de Psicologia compreende que a vacina é extremamente necessária para preservação da vida de toda população, ainda mais porque não temos garantidas pelo Estado as condições para o distanciamento social – que poderia (e ainda pode) salvar muitas pessoas da contaminação e complicações decorrentes da Covid-19.

Sendo assim, e considerando que muitas pessoas não poderão ser vacinadas (menores de 18 anos e pessoas com condições de saúde que não permitam a vacinação), as condições de biossegurança só poderão ser alcançadas se houver doses suficientes para todas(os).

Nesse sentido, é fundamental reivindicarmos o investimento público para que a vacina esteja de fato disponível, o mais breve possível, para toda a população. Assim, fica evidente a necessidade do investimento permanente em pesquisa, ciência, tecnologia e inovação – que se dão majoritariamente em instituições públicas. Contudo, neste momento emergencial, também é flagrante a necessidade de esforços efetivos para importação de vacinas e insumos.

Enquanto não há vacina para todas(os), é nosso compromisso ético, pensando na saúde coletiva, reivindicar a prioridade para grupos com maiores riscos de contaminação e disseminação do vírus e de complicações decorrentes da doença – seja por condições de saúde, deficiências, faixa etária, situação laboral, e mesmo as desigualdades de acesso à moradia, trabalho protegido e serviços de saúde.

Psicólogas(os) que se enquadrem nesses grupos, deverão ter prioridade garantida nos Planos de Vacinação. As(Os) demais deverão aguardar mantendo os cuidados necessários, ajudando a cobrar dos governos a Vacinação para toda população.

Por fim, destacamos a posição do Sistema Conselhos de Psicologia, que defende a Vacinação para Toda População como forma de preservação da vida e combate às desigualdades, confira: www.site.cfp.org.br/vacinacao-para-toda-a-populacao