CREPOP

CFP lança Referências Técnicas do CREPOP para a atuação de Psicólogas(os) na proteção a crianças e adolescentes em situação de exploração sexual

*com informações do CFP

O Centro de Referências Técnicas em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP) lançou em junho uma versão revisada do documento “Referências Técnicas para atuação de Psicólogas(os) na Rede de Proteção à Crianças e Adolescentes em situação de violência sexual” de 2009.

O documento possui quatro eixos que abordam a temática de maneira interprofissional, intersetorial e interdisciplinar: “Dimensão Ético-Política Frente Às Violências Contra Crianças E Adolescentes”; “Psicologia E A Proteção De Crianças E Adolescentes Em Situação De Violência Sexual”; “Atuação Do Psicólogo Nos Serviços Da Rede De Proteção”; e “Espaços De Construção E Defesa Das Políticas Públicas: Gestão Como Compreensão Ampliada E Interligada Na Defesa Da Política”.

Em entrevista concedida ao site do Conselho Federal de Psicologia (CFP) a presidente Ana Sandra Fernandes Arcoverde Nóbrega (CRP-13/5496) ressalta que as referências técnicas possibilitam a construção de subsídios no diálogo com gestoras e gestores na construção de políticas públicas em todas as esferas. Já a conselheira do CFP Marina De Pol Poniwas (CRP-08/13821) avalia que a Psicologia pode contribuir muito com o reconhecimento de crianças e adolescentes como sujeitos de direitos —conquista civilizatória fruto de muita luta. “A Psicologia pode contribuir, por exemplo, para que nos processos de implementação de políticas públicas sejam assegurados espaços de debate, reflexão das subjetividades, considerando sempre os aspectos sociais e culturais que envolvem as dinâmicas familiares”, explica.

A presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) e ex-conselheira do CFP, Iolete Ribeiro da Silva (CRP-20/00369), que participou da elaboração do documento, afirma que “as referências têm embasamento no marco legal de proteção à infância e a adolescência no país, então a sustentação das concepções básicas do documento tem sintonia com as recomendações básicas do Conanda para o enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes”.

Importância das referências técnicas do CREPOP

Segundo o Assessor Técnico em Pesquisas do CRP-PR, Altieres Edemar Frei (CRP-08/20211), que representa o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) no CREPOP, as Referências Técnicas que a Rede CREPOP disponibiliza são um instrumento importante, “pois acabam tendo relevância política tão importante quanto relevância técnica, na medida em que são produzidas e respaldadas em pontos que nos são caros enquanto Psicólogas(os) e que dizem respeito ao funcionamento do Estado democrático, da luta por Políticas Públicas e da defesa intransigente dos Direitos Humanos”. Altieres ainda complementa: “em tempos em que a ciência é aviltada, as referências técnicas funcionam como balizas e instrumentos para resistências de ordem ético-política, portanto, posto que há disputa de poder nas formas de saber, como nos aponta a máxima foucaultiana”.

CRP-PR no CREPOP

Por entender a importância do CREPOP para a produção destas e outras referências técnicas para a atuação profissional, em novembro de 2019 o CRP-PR voltou a integrar o grupo nacional, que reúne o Conselho Federal de Psicologia (CFP) e demais Conselhos Regionais de Psicologia (CRPs) e promove, desde 2006, a qualificação da atuação de profissionais da Psicologia que atuam em diferentes políticas públicas.

Saiba Mais

O terceiro episódio do podcast CFP Debate traz como tema o lançamento do novo documento.

CRP-PR lança Revista Cadernos de Psicologias, que receberá Relatos de Experiência, Ensaios, Resenhas

Atenção, prazo prorrogado!

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) está lançando um novo espaço de produção e divulgação de conhecimentos, orientações e reflexões em torno da interrelação entre teoria e prática em Psicologia. A revista CadernoS de PsicologiaS, idealizada e produzida por conselheiras(os) e pelo corpo técnico da instituição, tem por objetivo publicar textos nas categorias Relatos de Experiência, Inquietações Metodológicas, Cadernos Técnicos do CRP-PR e Resenhas (veja mais abaixo), de modo a consolidar seu compromisso com o desenvolvimento da ciência psicológica e com a prática profissional.

 

A revista nasce com uma essência plural – e isso já se revela no nome. “A concepção da revista CadernoS de PsicologiaS se subsidiou na necessidade de reconhecermos e darmos visibilidade para a diversidade teórico-prática que caracteriza a atuação profissional das Psicólogas e dos Psicólogos, bem como em oportunizar um espaço de troca de experiências entre profissionais, permitindo a construção de novas perspectivas e possibilidades para o ‘quefazer psi’”, explica o conselheiro João Batista Martins (CRP-08/07111).

 

A primeira edição terá como tema “Atravessamentos da Covid-19 nas práticas e saberes em Psicologia”, com o intuito de reunir reflexões em torno das novas formas de atuação no âmbito da Psicologia diante da pandemia, possibilitando uma reflexão sobre as dimensões epistemológicas e metodológicas que circunscrevem a prática profissional.

 

“Considerando que os impactos da Covid-19 atingiram praticamente todas as atividades envolvendo Psicólogas(os), como a Clínica, as Políticas Públicas, as instituições socioeducativas, as prisões, os hospitais, etc., a emergência da Covid-19 também promoveu novas formas de produção de subjetividade tanto das(os) Psicólogas(os) como dos usuários deste serviço”, analisa Altieres Edemar Frei (CRP-08/20211), Assessor de Pesquisa do CRP-PR.

 

Como será a avaliação dos artigos?

De acordo com o Conselho Editorial da Revista CadernoS de PsicologiaS, a avaliação dos materiais recebidos será realizada com base em uma linha editorial pautada no compromisso ético da Psicologia. Em sua carta, o Conselho Editorial da revista afirma que não se trata de uma “competição” ou “busca” pelo melhor artigo, mas de uma escolha colegiada, quase uma curadoria, para “ratificar os preceitos de pluralidade necessários aos diferentes olhares da Psicologia enquanto ciência e profissão compromissadas às questões sociais e defesa intransigente dos Direitos Humanos e da democracia”.

 

A composição da equipe avaliativa poderá incluir também parecer “ad hoc” das(os) demais conselheiras(os) e colaboradoras(es) técnicas(os) do Conselho Regional de Psicologia do Paraná ou de outras parceiras institucionais. “Nosso corpo técnico é imbuído de qualidade acadêmica e experiência profissional, mas, tão ou mais importante do que isso, estamos abastecidos de boa fé e compromisso ético com a produção de conhecimento, certos de que ao fazermos isso, também atuamos politicamente”, finaliza a carta. 

Quem pode submeter um texto?

Poderão submeter manuscritos para o CadernoS de PsicologiaS Psicólogas(os) que atuam no Estado do Paraná, devidamente registradas(os) no CRP-PR;  docentes vinculadas(os) aos departamentos e/ou cursos de Psicologia de Instituições de Ensino Superior, e/ou profissionais vinculados a entidades e/ou instituições envolvidas com a formação profissional da(o) Psicóloga(o), tais como equipamentos vinculados às políticas públicas de saúde e assistências social; Associações; Centros de Formação, etc.

 

Os manuscritos poderão ser apresentados em formato de produção individual ou coletiva — no caso de um texto escrito em parcerias, almeja-se que pelo menos uma das pessoas do grupo atenda aos critérios elencados acima, facultando assim parcerias com autoras(es) e profissionais de outras áreas e saberes.

Até quando posso submeter meu texto?

As(Os) Psicólogas(os) podem enviar um manuscrito para o e-mail cadernosdepsicologias@crppr.org.br até o dia 30 de agosto de 2020. A publicação dos textos aceitos está prevista para o segundo semestre do ano. Até lá, a Comissão Editorial fará a avaliação e dará um retorno a todas(os) as(os) autoras(es).

Qual deve ser a estrutura do texto?

Os manuscritos devem conter uma Folha de Rosto com o(os) nome(s) das(os) autoras(es), endereço, e-mail, telefone. Filiação Institucional (quando houver), título do manuscrito em português, inglês e espanhol (máximo 12 palavras), resumo em português (150 palavras) seguido de três palavras-chave; resumo em inglês (150 palavras) seguido de três palavras-chave; resumo em espanhol (150 palavras) seguido de três palavras-chave.

 

Os textos deverão ter a seguinte estrutura:

 

Relatos de Experiência e Inquietações Teóricas – Os manuscritos deverão apresentar: introdução, referencial teórico, método, resultados e discussão e, considerações finais/conclusão – não sendo obrigatório utilizar estes termos como itens.

 

Cadernos Técnicos do CRP PR – os manuscritos deverão estar relacionados às produções vinculadas às demandas que são apresentadas aos setores técnicos do CRP PR.

 

Resenhas – os manuscritos deverão ter no máximo 6 páginas e seguir as orientações quanto a formatação do texto conforme informações abaixo (ou acima). O manuscrito deve ser preparado sem subdivisões, na primeira folha deve ser apresentada a referências bibliográfica da obra resenhada e, ao final do texto, o nome, titulação acadêmica e a filiação institucional do resenhista (se houver).

 

As referências bibliográficas deverão ser organizadas utilizando as normas da APA (ver formas de notação bibliográficas no link http://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/view/112/96/493-1 ). Os Relatos de Experiência e as Inquietações Teóricas deverão ter entre 8 e 12 páginas e devem ser organizados com a seguinte formatação: folha A4, Fonte Times New Roman (corpo 12), espaços entre linhas 1,5; margens – direita e esquerda: 3 cm, superior e inferior: 2,5 cm, páginas numeradas na margem inferior lado direito.

 

Nota: a página de rosto não será contabilizada na quantidade de páginas final.

 

Importante: ao submeterem o manuscrito ao Conselho Editorial de CadernoS de PsicologiaS, o(s) autor(es) e a(s) autora(s) assume(m) a responsabilidade de não ter previamente publicado ou submetido o mesmo manuscrito por outro periódico. Os textos aceitos para publicação passam a ser propriedade da revista, não podendo ser reproduzidos sem consentimento por escrito. Em caso de autoria múltipla, o manuscrito deve vir acompanhado de autorização assinada por todas(os) as(os) autoras(es).

CRP-PR volta a integrar Centro de Referência Técnica e Pesquisa CREPOP

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) voltou a integrar o Centro de Referências Técnicas em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP), iniciativa que reúne o Conselho Federal e demais Conselhos Regionais de Psicologia (CFP e CRPs), de diferentes Estados. O CREPOP promove, desde 2006, a qualificação da atuação das(os) Psicólogas(os) que atuam nas diversas políticas públicas.

Segundo o Conselheiro Joao Batista Martins (CRP-08/07111), que representou o CRP-PR em sua primeira reunião como membro do CREPOP, realizada em Brasília nos últimos dias 22 e 23 de novembro, a adesão representa um avanço significativo porque este é um espaço no qual se discutem políticas públicas, as quais vêm sendo alvo de desmonte por parte dos governos. “O CREPOP é um órgão importante de orientação baseado no Código de Ética e nos direitos humanos, servindo tanto para auxiliar profissionais que estão se inserindo nos campos de trabalho como para assegurar a qualidade do trabalho de Psicólogas e Psicólogos nas diferentes áreas de atuação”, avalia.

 

O planejamento do CREPOP para 2020 inclui o lançamento de novas Referências Técnicas e a continuidade das revisões em curso abordando a atuação da(o) Psicóloga(o) nas temáticas: Direitos Sexuais e Reprodutivos; Diversidade Sexual e de Gênero; Políticas Públicas para Idosos; População em Situação de Rua; Povos Indígenas; Povos Quilombolas e Riscos, Emergências e Desastres, entre outras.

 

Além de compor com o Plano de Trabalho Nacional da Rede CREPOP, o CRP-PR também desenvolverá um plano de trabalho específico, considerando as demandas de produção de conhecimento, pesquisas e notas técnicas junto às(aos) Psicólogas(os) paranaenses.

 

Segundo o Assessor Técnico em Pesquisas do CRP-PR, Altieres Edemar Frei (CRP-08/20211), que também participou da reunião do CREPOP, “é deslumbrante atestar a diversidade da(s) Psicologia(s) aplicada(s) em um território com proporções continentais”. Para o pesquisador, tratou-se de “uma possibilidade gratificante de multiplicar potências com colegas de tão variados sotaques, vivências, saberes e trajetórias de lutas por qualificação do exercício profissional junto às Políticas Públicas vigentes”.

Próximos passos

Na reunião realizada em novembro foi apresentado o plano de trabalho do CREPOP para o ano de 2020, que deve ser validado na reunião da Assembleia de Políticas, de Administração e das Finanças (APAF) em dezembro deste ano. A próxima reunião do CREPOP deverá ocorrer ainda no primeiro semestre de 2020.

Rolar para cima