Caderno do CFP enseja debate nacional para produção de normativa sobre alienação parental

Caderno do CFP enseja debate nacional para produção de normativa sobre alienação parental

*Com informações de CFP

“Favorecer uma análise crítica e contextualizada das demandas” relacionadas à alienação parental é o objetivo do caderno “Debatendo sobre alienação parental: diferentes perspectivas”, compilado pelo Conselho Federal de Psicologia em 2019, a partir do qual está sendo organizado um amplo debate nacional envolvendo diversos Conselhos Regionais de Psicologia. Em novembro de 2019, o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) participou de uma reunião sobre o tema, a primeira de uma série de atividades que têm por objetivo embasar a construção do documento orientador sobre o tema. Segundo Iolete Ribeiro da Silva (CRP-20/00369), que foi conselheira do CFP até 2019 e participou da organização do material, o objetivo é que os Conselhos Regionais promovam debates para posteriormente produzir uma “nota técnica que oriente a categoria na atuação profissional e as discussões sobre alienação parental”.

Psicólogas(os) de diferentes Estados participaram de reunião em Brasília para debater aspectos da "alienação parental"

O material norteador do debate está dividido em três seções (Genealogia do Conceito de Alienação Parental; Alienação Parental e Normativas; e Prática de Psicologia Frente a Demandas da Alienação Parental) e traz artigos que “expressam opiniões de psicólogas(os) especialistas na área de alienação parental, com entendimentos diversos e muitas vezes opostos sobre o mesmo tema”.  A conselheira e coordenadora da Comissão de Psicologia Jurídica do CRP-PR, Luciana de Almeida Moraes (CRP-08/14417), que representa o Paraná no debate nacional sobre o tema, avalia que “é importante considerar essa pluralidade nas compreensões sobre o tema, uma vez que a área está em franco debate e não há consenso entre profissionais e pesquisadoras(es)”. Luciana também destaca a necessidade de promover mais espaços de diálogo sobre um tema que suscita muitas controvérsias entre profissionais do meio. “Foram dias de muito estudo com a perspectiva da não polarização do debate, e o caderno produzido é um material riquíssimo. Em 2020, o CRP-PR também promoverá espaços de diálogo sobre o tema”, conta ela.

Rolar para cima