CRP-PR realiza ação de Redução de Danos no aniversário de Maringá

Na tradicional festa de aniversário da cidade de Maringá, o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) realizou uma ação de Redução de Danos no Expoingá 2019. O evento, que aconteceu no dia 13 de maio, contou com entrada e shows gratuitos no Parque de Exposições Francisco Feio Ribeiro.

Durante a festa, a equipe do CRP-PR, que contava com 18 pessoas, atuou em dois pontos estratégicos para atividades de redução de danos: um grupo ficou do lado de fora do parque realizando ações relacionadas ao comportamento no trânsito, com a distribuição de copos de água e folders do bloco “Bebeu Água”, que traz orientações sobre não dirigir quando realizar o consumo de álcool. A outra parte da equipe ficou dentro do parque, dividida em duplas que orientavam os participantes da festa sobre a ação, distribuindo copos de água, folders e preservativos masculinos e femininos, de modo a reduzir danos do consumo de álcool e outras drogas e promover o sexo seguro.

Segundo a coordenadora da atividade, Psicóloga Camila Cortellete (CRP-08/19943), a ação foi de extrema importância para Maringá. Na última grande festa na cidade, o pré-carnaval, houve muitas ocorrências de pessoas passando mal devido ao consumo abusivo de álcool, uma demanda que levou ao cancelamento da festa. A Psicóloga explica que, com a entrada gratuita na Expoingá, foi possível atingir uma grande quantidade de pessoas de diferentes faixas etárias e classes sociais. “Foi muito produtivo. Tivemos um retorno muito bom das pessoas. Elas pediam informações querendo saber mais, voltando para pegar mais água ou preservativos, chamando os amigos para participar e, inclusive, parabenizando a ação”, ressalta Camila.

A Redução de Danos

As ações de Redução de Danos encontram respaldo no Planejamento Estratégico do XIII Plenário, no eixo de ações voltadas à sociedade. O objetivo é mostrar que a Psicologia, enquanto ciência e profissão, promove qualidade de vida em todos os seus segmentos. A ação também se baseia nos princípios fundamentais I, II e III do Código de Ética Profissional do Psicólogo (Resolução CFP nº 010/2005). Além disso, é fundamental ressaltar que não há qualquer tipo de apologia ao uso de nenhuma substância psicoativa, conforme política determinada pela Lei 11343/2006 (Lei do Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas).

Rolar para cima