Antonio Lancetti, grande nome da Reforma Psiquiátrica, morre aos 67 anos

*com informações do SinPsi

 

A conselheira Adriane Wolmann (ao centro, com roupa preta), participou de um evento de capacitação em 2014 com Antonio Lancetti (à esquerda ao lado de Adriane)

 

O falecimento do Psicanalista Antonio Lancetti, que teve trajetória de destaque na área da Reforma Psiquiátrica, foi recebida com profundo pesar por diversas entidades. Lancetti morreu nesta quarta-feira (14), vítima de um câncer. O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) não poderia deixar de também homenagear este grande profissional, que dedicou boa parte de sua vida à luta pelas questões da Saúde Mental e dos Direitos Humanos.

 

Lancetti guerreiro luminoso, incansável combatente de uma saúde mental respeitosa, ativa e vital. Nosso reconhecimento e agradecimento por sua atuação. Vá em paz companheiro

 

Falar em algumas linhas sobre todas as experiências de Lancetti na militância Antimanicomial é tarefa impossível. Lancetti foi um Psicanalista argentino que se exilou no Brasil em 1979. Durante sua trajetória, teve importante participação em conquistas como a transformação de Santos na primeira cidade brasileira sem manicômios. Foi também consultor do Ministério da Saúde e idealizador do Programa De Braços Abertos. Participou, ainda, das redes alternativas de psiquiatria e do plenário de trabalhadores de saúde mental de São Paulo, além de ter sido fundador das primeiras equipes volantes de saúde mental, atuando junto ao Programa Saúde da Família (PSF). Dentre suas obras, é autor de “Clínica Peripatética” e “Contrafissura e plasticidade psíquica”, além de ter sido diretor da coleção SaúdeLoucura, hoje com 50 títulos, publicada pela editora Hucitec.

A conselheira do CRP-PR Semiramis Vedovatto teve a oportunidade de conhecer Lancetti e lamentou a perda: “um dos grandes mestres da Reforma Psiquiátrica brasileira, depois de uma longa batalha contra uma doença, faleceu. Dia triste para os militantes. Lancetti guerreiro luminoso, incansável combatente de uma saúde mental respeitosa, ativa e vital. Nosso reconhecimento e agradecimento por sua atuação. Vá em paz companheiro”.

 

Para conhecer mais sobre o trabalho de Antonio Lancetti, assista ao episódio da série “Psicanalistas que Falam”, clicando aqui.  

Rolar para cima