A prevenção de acidentes de trabalho também é função da(o) Psicóloga(o)

De acordo com os dados da previdência, no ano de 2017 ocorreram mais de meio milhão de acidentes de trabalho no Brasil, número que representa um problema que afeta trabalhadores e suas famílias, prejudica a economia e onera o Estado. Quando examinamos os relatórios de investigação dos acidentes de trabalho encontramos, em grande parte, indicações de que o acidente ocorreu devido à falha humana, como falta de atenção, baixa concentração, lapsos, pouca percepção dos riscos, etc. Estes dados nos levam a, pelo menos, duas reflexões:

 

1) Será que o grande responsável pelos acidentes é realmente o(a) trabalhador(a) diretamente envolvido(a) na ocorrência, ou será que há outras variáveis responsáveis e que não estamos percebendo?;

(2) Considerando que o comportamento dos(as) trabalhadores(as) está fortemente relacionado à ocorrência de acidentes, o que pode ser feito para promover comportamentos mais seguros?

 

A(O) Psicóloga(o) é a(o) profissional especialmente capacitada(o) para compreender o comportamento humano e como ele é influenciado, assim como para criar estratégias eficazes de modificar e promover a ocorrência de comportamentos que produzam uma melhor qualidade de vida, pessoal e profissional. Parte da atuação da(o) Psicóloga(o) Organizacional é desenvolver estratégias para envolver as(os) trabalhadoras(es) e promover uma cultura de cuidado e prevenção de acidentes, de acordo com estudos como o desenvolvido por Scott Geller em 1996. Stephen Guastello fez em 1993 um estudo para examinar a eficácia de diferentes tipos de intervenções na prevenção de acidentes ocupacionais. O resultado que encontrou foi que as intervenções que produziram as maiores quedas nas taxas de acidentes foram as aquelas com foco no comportamento, tornando mais evidente a contribuição da Psicologia para as organizações de trabalho.  

 

Pesquisas da Psicologia do Trabalho tem produzido cada vez mais visibilidade a respeito de como o contexto social, a organização dos processos de trabalho, sistemas de gestão de desempenho, atuação das lideranças, práticas de gestão, recursos disponíveis, condições do ambiente de trabalho e diversas outras variáveis interferem no comportamento das(os) trabalhadoras(es) e afetam as probabilidades de ocorrência de acidentes. O aumento da percepção das diversas influências existentes do contexto de trabalho no comportamento do(a) trabalhador(a) de todos os níveis hierárquicos permite a tomada de decisões cada vez mais precisas e com melhor relação custo-benefício na prevenção de comportamentos de risco e ocorrência de acidentes.

 

A(O) Psicóloga(o) do Trabalho pode contribuir tanto na resolução de problemas mais pontuais, como na frequência e intensidade de acidentes que ocorrem em uma atividade específica e de maior risco da empresa, quanto em situações mais amplas, como nas tomadas de decisões estratégicas, junto à liderança executiva da empresa. Quando presente nas decisões estratégicas, a(o) Psicóloga(o) pode contribuir na condução de mudanças que alcancem toda a organização, promovendo uma cultura global de prevenção e cuidado ativo entre os(as) colaboradores(as) e com isso conquistando resultados ainda mais expressivos no desempenho em segurança do trabalho.

 

Assim como os técnicos de segurança, médicos do trabalho, engenheiros de segurança, fisioterapeutas e vários outros profissionais, a(o) Psicóloga(o) também está preocupada(o) e tem muito a contribuir quando o assunto é prevenção de acidentes no trabalho e promoção de culturas de segurança e cuidado.

Texto de Guilherme Alcântara Ramos (CRP-08/21249)

Rolar para cima