Nota de repúdio às declarações da Secretária de Saúde Marcia Huçulak

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) é uma autarquia dotada de personalidade jurídica de direito público, cuja função é de orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão de Psicólogas e Psicólogos e zelar pela fiel observância dos princípios da ética e disciplina da classe, conforme a lei nº 5766/1971.

Após aprovação de posicionamento na 791ª Plenária Ordinária, o CRP-PR manifesta sua solidariedade às(aos) Psicólogas(os) e ao conjunto de profissionais e usuárias(os) dos serviços de saúde mental de Curitiba, sobretudo diante das manifestações proferidas pela Sra. Marcia Huçulak, Secretária Municipal de Saúde de Curitiba, ao responder questões relacionadas à assistência em saúde mental em Curitiba durante sessão de Prestação de Contas do 1º Quadrimestre 2018, realizada em 28 de maio deste ano na Câmara Municipal de Vereadores de Curitiba.

Compreendemos que a manifestação da Sra. Secretária é inadequada e equivocada, pois promove estigmatização das(os) usuárias(os) de serviços de saúde mental e desqualifica as(os) diversas(os) técnicas(os) que compõem as equipes multidisciplinares dos CAPS, agindo com desinformação acerca de seus exercícios profissionais.

O CRP-PR reafirma o compromisso com a defesa da Saúde Mental e das políticas de Redução de Danos, das tecnologias críticas de cuidado e do alinhamento com as diretrizes preconizadas pela Reforma Psiquiátrica e a Luta Antimanicomial. Ressaltamos o posicionamento contrário do CRP-PR à nova Política Nacional de Saúde Mental e de Drogas, que descaracteriza os avanços garantidos pela Reforma Psiquiátrica e pela Redução de Danos. Também nos posicionamos em defesa das políticas públicas e da necessidade de fortalecimento da Rede de Atenção Psicossocial, não apenas em Curitiba, mas em todo o estado do Paraná.

Reafirmamos o compromisso desta autarquia com a participação e construção de fóruns democráticos de Controle Social para o acompanhamento e fortalecimento das políticas públicas em saúde, na garantia do direito de manifestação e livre expressão de todas(os) as(os) profissionais de saúde de Curitiba, mesmo que divergentes dos posicionamentos institucionais da gestão executiva municipal de Curitiba.