CRP-PR assina moção de apoio à ciência e aos pesquisadores brasileiros

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) assinou a moção de apoio à ciência e aos pesquisadores brasileiros, uma iniciativa da Associação Brasileira Multidisciplinar de Estudos sobre Drogas (ABRAMD). O documento foi produzido após o cientista Elisaldo Luís de Araujo Carlini ter sido intimado a depor em um inquérito no qual é acusado de supostamente ter realizado apologia ao crime. A acusação veio à tona após o pesquisador ter convidado Ras Geraldinho, fundador da primeira igreja Rastafari do Brasil, uma religião jamaicana que utiliza a maconha como sacramento, para participar do 5º Congresso Maconha – Outros Saberes, realizado no final do ano passado.

O convite havia sido enviado pelo professor ao Centro de Progressão Penitenciária, uma vez que Ras está preso por tráfico de drogas e corrupção de menores, após uma batida policial ter localizado a planta e diversos seguidores, entre eles alguns adolescentes, em um centro religioso associado a ele.

Em entrevista ao Portal UOL, o pesquisador explicou que o congresso tinha duração de 13 dias de congresso e sete mesas, uma delas chamada “Maconha e Filosofia”. “Ela contava com a presença de religiosos, como católicos e evangélicos, e gostaríamos de saber a opinião do fundador da igreja Rastafari no país”, afirmou. (Leia aqui a reportagem completa)

É importante ressaltar que Carlini, que é reconhecido internacionalmente como um dos principais estudiosos do tema, pesquisa sobretudo os efeitos medicinais da maconha, sendo citado 12 mil vezes em pesquisas científicas nacionais e internacionais e tendo em seu currículo pesquisas em parceria com pesquisadores de países de vários continentes.

“Fazer desconhecer a trajetória do Prof. Carlini ao intimá-lo a depor por ‘apologia ao crime’ é não somente desprezar esta trajetória, quanto, por um ato de obscurantismo imperdoável, fazer desconhecer os inúmeros benefícios que vêm sendo identificados no tratamento de condições como epilepsia refratária a tratamentos convencionais, mal de Parkinson etc. pelo uso da maconha medicinal, e que encontram nas pesquisas lideradas pelo Prof. Carlini evidências a sustentar e inspirar novas gerações de pesquisadores”, defende a nota.

Leia o documento na íntegra a seguir:

 

MOÇÃO DE APOIO À CIÊNCIA E AOS PESQUISADORES BRASILEIROS

A Associação Brasileira Multidisciplinar de Estudos sobre Drogas – ABRAMD vem a público manifestar seu apoio à ciência e aos pesquisadores brasileiros para discutir e debater os mais variados temas na sua missão de, por meio da pesquisa, avançar no conhecimento sobre questões da natureza e da sociedade que impliquem, inclusive, na melhoria da qualidade de vida de indivíduos e comunidades.

A ciência se caracteriza pela busca constante de respostas, sempre com o objetivo de trazer luz sobre assuntos e temas de interesse da sociedade, por meio de pesquisas e debates públicos. A liberdade de pensar, questionar, criticar, criar, propor e ousar é marca inerente à ciência, e toda pessoa, independe de títulos, tem a priori o direito de exercer esta liberdade.

A experiência acumulada com o trabalho científico – que requer propor projetos de pesquisa, buscar financiamento para tais projetos, conduzir suas atividades e etapas, formar e orientar estudantes e equipes de pesquisa, identificar e analisar resultados de pesquisa e torná-los públicos à comunidade científica e geral – aliada à originalidade e rigor científico, leva a que alguns pesquisadores adquiram liderança e proeminência em sua área, nacional e internacionalmente.

Elisaldo Luís de Araujo Carlini é um dos mais importantes pesquisadores do país na área de álcool e outras drogas. O Prof. Carlini conduziu inúmeras pesquisas na área, foi o idealizador e um dos fundadores da ABRAMD, um dos cientistas, ex-membro do International Narcotic Control Board (INCB), único brasileiro da área eleito pelo Conselho Econômico Social das Nações Unidas, citado 12 mil vezes em pesquisas científicas nacionais e internacionais, pesquisas em parceria com pesquisadores de países de vários continentes. Fazer desconhecer a trajetória do Prof. Carlini ao intimá-lo a depor por “apologia ao crime” é não somente desprezar esta trajetória, quanto, por um ato de obscurantismo imperdoável, fazer desconhecer os inúmeros benefícios que vêm sendo identificados no tratamento de condições como epilepsia refratária a tratamentos convencionais, mal de Parkinson etc. pelo uso da maconha medicinal, e que encontram nas pesquisas lideradas pelo Prof. Carlini evidências a sustentar e inspirar novas gerações de pesquisadores.

Por essas razões acima, a ABRAMD vem apresentar seu apoio irrestrito à ciência, liberdade de expressão e a possibilidade de inovação com o objetivo de melhorar qualquer área de pesquisa, inclusive álcool e outras drogas.

 

Instituições que assinam a Moção de Apoio:

–  Associação Brasileira de Psicologia Social-  ABRAPSO

– Associação Brasileira de Ensino de Psicologia-   ABEP

– Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Psicologia – ANPEPP

– Centro de Convivência É de Lei

– Centro de Prevenção às dependências (Recife)

– Colegiado Regional de Saúde Mental de Ubá e Muriaé

– Conselho Regional de Psicologia do Paraná -CRP-PR

– Conselho Regional de Psicologia de São Paulo-  CRPSP

– C.O.R.D.E.L. – Coletivo de Redução de Danos de experiências livres de São Luís do Maranhão

– Centro Latinoamericano de Sexualidade e Direitos Humanos- CLAM –  Universidade Federal do Rio de Janeiro (UERJ)

– Centro de Referência em Pesquisa, Intervenção e Avaliação em Álcool e Outras Drogas- Universidade Federal de Juiz de Fora (CREPEIA UFJF)

– Fórum de formação em saúde da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

– Fórum Popular de saúde mental da Zona Leste de São Paulo

– Fórum de Saúde Mental do Alto Tietê

– Fórum Paulista da Luta Antimanicomial-  FPLAM

– GT Drogas e Sociedade da ANPEPP – Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia

– Instituto Silvia Lane

– Laboratório de Ensino e Pesquisa em Psicopatologia, Drogas e Sociedade (LePsis) da Universidade de São Paulo

–  Movimento Nacional da Luta Antimanicomial-  MNLA

– Núcleo de Estudos e Pesquisas Lógicas institucionais e coletivas da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

– Núcleo psicanálise e política da Universidade de São Paulo (USP)

– Núcleo trabalho e ação social (NUTAS) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

– Núcleo de estudos sobre drogas da UFC (Universidade Federal do Ceará)

– Núcleo de Pesquisa e Intervenção nas Políticas de Drogas – NUPID/UFSJ- Universidade Federal de São João Del Rei

– Núcleo de Pesquisa em Cognição Social e Saúde (NUPECS), da Universidade Católica de Petrópolis (UCP)

– Núcleo de Pesquisas em Clínica da Atenção Psicossocial – PSICLIN – UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina

– Núcleo Transdisciplinar Subjetividades, Violências e Processos de Criminalização (TRANSCRIM) – UFF- Universidade Federal Fluminense

– Prodequi – Programa de Estudos e Atenção às Dependências Químicas do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB)

– Rede Brasileira de Redução de Danos e Direitos Humanos-  REDUC

–   Rede Multicêntrica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

– Sindicato dos Psicólogos no Estado de São Paulo-  SINPSI