4º Congresso da Ordem dos Psicólogos Portugueses promoverá intercâmbio profissional entre profissionais da Psicologia de países da língua portuguesa

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) participará, em setembro, do 4º Congresso da Ordem dos Psicólogos Portugueses, que reunirá profissionais de diversos países de língua portuguesa, como Brasil, Portugal, Moçambique, Angola e Cabo Verde. A participação do Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) no Congresso é uma ação que visa a promover a presença da instituição e sua representatividade em ações e instâncias que envolvem a Psicologia, conforme estabelece o Planejamento Estratégico do XIII Plenário. Além disso, entre os objetivos e metas do planejamento está o contato com outras entidades representativas da Psicologia e a troca de experiências. Ao dar visibilidade aos processos internos do CRP-PR e conhecer outras formas de atuação, a execução de funções como a orientação e a fiscalização ganham maior dinamismo e eficiência.

Além das programações científica e social, que vão acontecer entre os dias 12 a 14 de setembro em Braga, Portugal, durante o Congresso será realizada a eleição dos novos representantes para a Federação das Associações de Psicólogos de Língua Portuguesa (PSIPLP). Criada em 2014 em Lisboa, Portugal, a Federação visa a promover o intercâmbio de conhecimentos para o desenvolvimento da profissão e da ciência psicológica.

Para Rogério de Oliveira Silva (CRP-04/14209), atual presidente da Assembleia da Federação, a reunião de países é importante para promover a maior interação entre Psicólogas(os) de diferentes países. Ele explica que alguns desafios são garantir a maior mobilidade das(os) Psicólogas(os) entre os países e a equidade do desenvolvimento político. “Cada país tem autonomia para legislar e conferir normas, regras e parâmetros para o exercício profissional. Mas, o que os Conselhos têm condições de fazer é, por exemplo, no momento em que a pessoa entra com a requisição para validar o seu diploma, é fornecer uma autorização provisória para exercer a profissão por alguns meses enquanto aguarda a conclusão do processo”, exemplifica. “Outra questão é que os países estão em momentos distintos, inclusive do ponto de vista da organização política, e precisamos contribuir para que tenham uma certa equidade nesses estágios diferentes.” 

Rogério destaca a importância da participação de todos os Conselhos Regionais de Psicologia, uma vez que podem contribuir com a realidade de cada Estado, e também de outras associações profissionais. “A ida do Conselho Regional de Psicologia do Paraná é fundamental para se estabelecer esse intercâmbio, pois a Federação não foi criada para que duas ou três instituições representem todas as demais. É preciso garantir a diversidade da Psicologia”, conclui.

Alinhado a este posicionamento e também com o objetivo de apoiar instituições não privadas, a participação do CRP-PR nas discussões da Federação é uma importante contribuição para o desenvolvimento técnico da Psicologia, a partir da troca de experiências, e para o avanço das políticas implementadas pelos governos no que concerne ao exercício da profissão de Psicóloga(o). Além disso, a maior abertura diplomática entre os países de língua portuguesa traz benefícios para as(os) Psicólogas(os) paranaenses, que podem ganhar mais possibilidades de intercâmbio profissional com outras nações.